Assine Já
sexta, 10 de julho de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 327 Confirmados: 3311 Óbitos: 194
Suspeitos: 327 Confirmados: 3311 Óbitos: 194
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 266 7
Arraial do Cabo 16 84 11
Cabo Frio X 1016 62
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 1 528 19
Saquarema 23 541 33
Últimas notícias sobre a COVID-19
agua

Operação flagra furto de água em zona nobre de Cabo Frio

Cano clandestino ligava abastecia edifício em construção na Vila Nova

16 julho 2014 - 14h30Por Sérgio Meirelles
Operação flagra furto de água em zona nobre de Cabo Frio

A Prolagos descobriu nesta quinta-feira (16) mais um furto de água em uma das zonas mais nobres de Cabo Frio. O crime vinha sendo praticado em um edifício em construção, na Rua Francisco Paranhos, 61, Vila Nova, próximo a Praia do Forte. As polícias Civil e Militar foram acionadas e autuaram os donos da obra. Ninguém foi detido. A Gerplan Engenharia, responsável pela construção do prédio, afirmou que não estava furtando água e que o “gato” (ligação clandestina) só foi descoberto porque a construtora solicitou a regularização do serviço.  

A fraude foi descoberta no fim da manhã quando os técnicos da Prolagos foram até o endereço do imóvel para normalizar o abastecimento que até então se encontrava suspenso por falta de pagamento de contas passadas. Ao iniciar a operação para a instalação do hidrômetro, os funcionários detectaram o “gato”. Um cano clandestino estava ligado à rede de fornecimento de água da companhia.

A empresa acionou imediatamente a polícia. Policiais do 25º BPM (Cabo Frio) foram até o local e confirmaram o furto de água. Peritos da Polícia Civil também estiveram no endereço da fraude. O registro da ocorrência foi feito na 126ª DP.

Assim como a Prolagos, a Gerplan Engenharia se diz surpreendida com a descoberta do “gato”. Segundo o engenheiro Antônio Carlos Menta, o terreno onde hoje está sendo construído o edifício era ocupado ilegalmente por barraqueiros que viviam ali há tempos. Menta acrescentou que a obra começou há apenas uma semana e, desde então, os operários utilizavam água cedida por um vizinho.

– Fomos nós (a construtora) que contatamos a Prolagos para que instalasse um hidrômetro e nos abastecesse de água, pois necessitamos de água na construção. Pagamos, inclusive, um débito por falta de pagamento que não nos pertencia no valor de R$ 2,5 mil. Isso para que tivéssemos o serviço regularizado. Não seria lógico se fizéssemos um “gato”, concordam? – defendeu Menta.  

Há dois anos e com apoio das polícias Civil e Militar, a Prolagos criou um setor específico para combater o furto de água no município. De acordo com a assessoria de imprensa da empresa, desde então, mais de 9 mil denúncias foram recebidas pela companhia de águas. As queixas podem ser feitas por qualquer pessoa por intermédio do site www.prolagos.com.br ou pelo telefone gratuito 0800 7020 195.