Assine Já
domingo, 24 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Viva Rio

ONG Viva Rio abre seleção para guarda-parques do Estado

Contrato dos atuais profissionais termina no fim deste mês e não serão prorrogados

15 abril 2017 - 10h05Por Redação I Foto: Arquivo Folha
ONG Viva Rio abre seleção para guarda-parques do Estado

A ONG Viva Rio abriu até o próximo dia 24 as inscrições para o processo seletivo que fará para contratar 142 agentes de defesa ambiental – guarda-parque campo e 18 guarda-parques coordenadores, que atuarão nas Unidades de Conservação da Natureza do Estado sob a supervisão do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). O edital já está disponível no site da ONG Viva Rio. Para concorrer é preciso ter completado o Ensino Médio.

Os candidatos passam por prova de aptidão física e entrevista e, se aprovados, recebem um curso de formação de cinco semanas. Para região foram destinadas 14 vagas, sendo 12 para o Parque Estadual da Costa do Sol e duas para a APA de Massambaba. Para guarda-parque de campo, o salário é de R$ 1.690,23 e para guarda-parque coordenador, de R$ 1.867,29.

As atividades envolvem zelar pela vida selvagem, pelo ambiente e pelo patrimônio, garantir o cumprimento da legislação ambiental, prevenir e combater incêndios, cuidar da manutenção das trilhas e atrações turísticas, realizar ações de conscientização e contribuir para a segurança de visitantes e funcionários, entre outros aspectos da rotina das áreas de conservação.

Polêmica − A contratação de guarda-parques por meio de uma organização social tem sido motivo de revolta dos profissionais da área, cujos contratos com o Inea serão encerrados no próximo dia 30. O órgão estadual, contudo, afirma que a decisão de não prorrogar os contratos foi uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).