Assine Já
sábado, 23 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Ocupação hoteleira para o Carnaval em Cabo Frio é de 90%

Clima e período do mês diminuem movimento em relação ao ano passado

02 março 2019 - 09h40
Ocupação hoteleira para o Carnaval em Cabo Frio é de 90%

RODRIGO BRANCO

A ocupação da rede hoteleira de Cabo Frio para o Carnaval está perto do máximo, em 90%, mas inferior ao índice registrado no ano passado, que ficou em 95%. As informações foram passadas pelo presidente da Associação de Hotéis, Gastronomia, Comércio e Turismo de Cabo Frio, Carlos Cunha. A estimativa inicial, replicada pela Secretaria Municipal de Turismo, era chegar ao patamar de 2018, mas para Carlos Cunha, alguns fatores impediram que isso acontecesse até o início oficial da folia.

– A previsão do tempo não é das melhores, principalmente no Rio de Janeiro, que é de onde vem a grande massa. Tem a questão econômica também. Tivemos um mês de janeiro muito bom, as pessoas viajaram bastante. E tem o histórico do Carnaval, que não é data mais atrativa para as famílias em Cabo Frio – analisa o empresário.

Ontem, na orla da Praia do Forte, era possível ver um movimento maior do que o habitual, mas ainda sem a multidão que historicamente visita a cidade durante a folia de Momo. Apesar de a expectativa ser de casa quase cheia, na opinião do presidente da Associação Comercial e Industrial (Acia), EduardoRosa, isso não deve se reverter em grandes vendas no varejo nos próximos dias.

– Acredito que terá um movimento no segmento de bares e restaurantes, mas no comércio de confecção e moda praia não acredito que aconteça. Acho que a gente vai conseguir ver um reflexo melhor depois do Carnaval. O Carnaval caiu em março, já no período de aulas e de volta ao trabalho. Acho que as pessoas estão evitando despesas e o país ainda não alavancou um crescimento necessário para que as pessoas gastem um pouco mais do que podem – avaliou Rosa.

No Estado do Rio, uma pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio–RJ) apresenta números superlativos. O estudo apontaque o turismo interno fluminense movimentará cerca de R$ 3,5 bilhões no período do carnaval, considerando todos os gastos dos viajantes.

O levantamento indica que 26,2% da população fluminense adulta viajará no feriadão para destinos no Estado, interestaduais e internacionais, totalizando fluxo de cerca de cerca de 3,3 milhões de moradores de todo Estado do Rio. A pesquisa contou com a participação de 500 consumidores em todo o Estado do Rio, e foi apurada pelo Instituto Fecomércio RJ de Pesquisas e Análises, no período de 21 a 25 de fevereiro.

O turismo interno será responsável pelo fluxo de 18,2% da população maior de 18 anos residente no Estado. Isso significa o deslocamento de 2,3 milhões de pessoas dentro do Rio de Janeiro. O secretário de estado de Turismo do Rio de Janeiro, Otavio Leite, enxerga reaquecimento da atividade turística no Rio de Janeiro.

– A pesquisa revela a importância do carnaval como um período de diversão e/ou descanso para uma população que circula e consome serviços neste período. Esse é um fértil movimento que faz girar a roda da economia, gerando renda de forma espalhada e empregos, mesmo que sazonalmente. A ideia é trabalhar para que mais pessoas circulem e visitem o Rio de Janeiro – afirma