Assine Já
sexta, 30 de outubro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 9642 Óbitos: 492
Confirmados Óbitos
Araruama 1964 112
Armação dos Búzios 597 10
Arraial do Cabo 310 16
Cabo Frio 3128 168
Iguaba Grande 864 38
São Pedro da Aldeia 1494 72
Saquarema 1285 76
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Observação de pássaros se notabiliza em Cabo Frio e pode virar livro

Os observadores da liberdade

06 novembro 2015 - 09h27Por Blog do Cabral

Quando o município de Cabo Frio tiver seu turismo reinventa­do, através de convênio da secre­taria estadual de Turismo e Uni­versidade Federal Fluminense (UFF), certamente, lá estará um novo atrativo da cidade: a obser­vação de pássaros. Verdadeiros apreciadores da liberdade, estes observadores, que vêm das mais diferentes cidades, são pessoas interessadas em proteger e des­frutar da observação de aves em vida livre.

Embora muitos não saibam, Cabo Frio se notabiliza nesta prática que, nos últimos anos, vem sem ampliando e se organi­zando nas mais diferentes regi­ões do país. Aqui, um nome se desponta. Ele é o ambientalista Antônio Ângelo Trindade Mar­ques, que, em 1996, começou a atividade de fotografar e identi­ficar aves da fauna cabofriense. Hoje, a atividade resultou em um inventário fotográfico com mais de 180 espécies entre silvestres e aquáticas que voam por aqui.

Apesar de ser uma atividade antiga na Europa e nos Estados Unidos, o Brasil é um destino famoso, pois possui mais de 1.800 espécies. Cabo Frio, por sua localização geográfica, tem papel importante na migração de espécies de aves aquáticas que aqui encontram o descanso e alimentação necessários para longa jornada

Antônio Ângelo, entusiasma­do com o que faz, garante que a observação de pássaros é capaz de atrair gente do mundo inteiro e, com mais entusiasmo ainda, fala do Formigueiro, um pássaro endêmico que está em extinção desde que Cabo Frio começou a ser impactada com a explosão imobiliária, isso já no início dos anos 80.

O formigueiro, conta Antônio Ângelo, é sempre encontrado na borda litorânea e nas áreas de restinga e só não desapareceu por completo por não ser um pássaro de gaiola. O formiguei­ro é uma ave negra, com man­chas brancas nas asas e de canto contundente, mas não apreciado pelos criadores.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta sexta-feira (6)