Assine Já
quinta, 01 de outubro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8438 Óbitos: 437
Confirmados Óbitos
Araruama 1675 103
Armação dos Búzios 500 10
Arraial do Cabo 256 15
Cabo Frio 2775 149
Iguaba Grande 699 37
São Pedro da Aldeia 1353 54
Saquarema 1180 69
Últimas notícias sobre a COVID-19
atraso forum arraial

OAB protesta contra TJ por atraso em obras do Fórum

Manifestação acontece hoje em Arraial, em frente ao prédio abandonado

17 junho 2015 - 08h58Por Nicia Carvalho
OAB protesta contra TJ por atraso em obras do Fórum

NICIA CARVALHO

A paralisação das obras do novo prédio do Fórum de Arraial do Cabo, interrompida há quatro anos, é mais um entrave que se soma à dificuldade de a população ter celeridade quando o assunto é justiça. Por conta disso, a 20ª Subseção da OAB de Cabo Frio promove protesto hoje, às 10h, às portas do atual fórum, que fica em frente à prefeitura, contra morosidade do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ).

De acordo com o advogado e diretor da OAB -Cabo Frio, Renato Gonçalves, o novo fórum é construído com verba própria do TJ, inicialmente orçado em R$ 8 milhões, mas a obra foi paralisada sem que o órgão informasse as razões. O prédio atual, segundo ele, não oferece a menor condição de trabalho e atendimento.

– O estado atual é crítico, sem estrutura nenhuma, sem espaço e não tem mais para onde crescer. As condições de trabalho são horríveis e muitas vezes temos que ficar do lado de fora do cartório, em fila, porque o espaço é pequeno por conta do alto número de processos, que aumenta a cada dia – disparou, acrescentando que o protesto também vai reunir população, além de advogados de Iguaba Grande, que enfrentam a mesma situação em relação ao fórum.

Renato explicou ainda que a empresa responsável pela obra faliu e que outra construtora teria assumido a empreitada. No entanto, a verba que o Tribunal oferece seria inferior ao necessário para concluir e reparar o que foi abandonado. A reportagem da Folha entrou em contato com o Tribunal de Justiça para saber as razões de a obra estar parada e qual o custo para a conclusão, mas até o fechamento desta edição não recebeu resposta.

*Matéria completa na edição impressa da Folha dos Lagos de hoje.

Foto: Max Prates