Assine Já
sábado, 26 de setembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
ibascaf

O drama dos aposentados do Ibascaf

Servidores foram até à secretaria de Fazenda tentar obter previsão sobre atrasados

04 agosto 2016 - 10h03
O drama dos aposentados do Ibascaf

A vida econômica do Brasil não anda fácil para ninguém, ainda mais para quem está com dois ou quase três meses de salários atrasados. É o caso dos servidores do Ibascaf, em Cabo Frio. Um grupo deles foi até a sede da Secretaria de Fazenda na manhã de ontem para tentar falar com o secretário Axiles Corrêa e ter alguma previsão de pagamento. Mas, segundo informações, Axiles não apareceu para dialogar e os aposentados mais uma vez ficaram sem respostas. O presidente do Sindicato dos Servidores, Olney Vianna, pretende recorrer à Justiça de novo para que os servidores recebam.

– Estou pensando em entrar com outra ação judicial. Só que agora exclusiva para os aposentados, pensionistas e auxíliodoença. Os atrasados eram de junho e julho. Pagaram junho e julho ficou em aberto. Pode também acontecer de ter alguém que não tenha recebido, mas como casos individuais, deverão ser resolvidos diretamente no Ibascaf - disparou Olney que informou que deve ingressar com a ação na próxima semana.

Mas das cinco pessoas entrevistadas pela Folha, todos afirmam que estão com três meses de salários atrasados. Contas acumuladas, juros altos que não param de crescer, o dinheiro que não chega e o desespero que toma conta . Esse é o quadro relatado por todos que assegurados que foram ouvidos pela reportagem. A aposentada Ressi Carriço, 86, é o retrato da indignação.

– É um absurdo o que estou vivendo. Compro fiado, as con- tas estão acumuladas, quando o dinheiro chega não dá para pagar nada. E eles não dão previsão – desabafa.

A professora Miriam Coroa dos Santos, 53, está aposentada há três anos e é mais uma da enorme lista de aposentados que faz malabarismos para viver.

– Estamos vivendo no sacrifício. Temos uma despesa alta, com filhos na faculdade, aluguel e transporte para o Rio. Lutamos por zelar nosso nome. Contas atrasadas, empréstimos para tentar resolver e acabamos prejudicados mais ainda. A parcela do imposto de renda altíssima, sem condições de pagar, enfim, um caos. Parece que estamos errados por termos uma formação melhor e por termos nos aposentado, pois alegam que não podem pagar acima de R$2800. O que nos deixa mais ainda sem esperança é que não podemos contar com a Justiça, ela não consegue resolver. Cadê o Ministério Público? O Tribunal de Contas, vereadores? Nada e ninguém para nos ajudar. Acabei de encontrar um amigo, também aposentado do Ibascaf, e cortaram a luz dele – relata a professora. 

A aposentada Nilva Jacuru, 55, tinha duas matrículas no município. Aposentou-se de uma em 2011 e da outra em 2014. Tinha planos de viajar e curtir tudo o que podia pelo período de contribuições que fez ao Instituto. Mas a realidade que vive agora é bem diferente do que imaginou. Hoje vive com as contas atrasadas, celular bloqueado, plano de saúde cancelado e no estresse de não saber o que fazer no dia seguinte.

– Nunca imaginei passar por isso. Só tenho esses vínculos. Trabalhei e contribuí tanto para isso.- desabafa a educadora.

Até o fechamento desta edição, a secretaria de Comunicação não informou quando os pagamentos serão efetuados.

 

Campanha para arrecadar alimentos

O Sepe Lagos lançou uma campanha virtual para arrecadação de alimentos para servidores e aposentados que estão sem salários. Os servidores pedem que quem puder contribua com a doação de um quilo de alimento, que pode ser entregue na sede do Sindicato – na avenida Julia Kubistchek, 16.

Na próxima sexta-feira (5), eles vão promover o Bazar da Solidariedade, em frente à Praça das Águas, a partir das 15h, também para arrecadar alimentos.

*Foto arquivo: No ano passado, os servidores já enfrentavam problemas de pagamento e invadiram o Ibascaf para cobrar solução.