Assine Já
sábado, 16 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
ibascaf

O drama dos aposentados do Ibascaf

Servidores foram até à secretaria de Fazenda tentar obter previsão sobre atrasados

04 agosto 2016 - 10h03
O drama dos aposentados do Ibascaf

A vida econômica do Brasil não anda fácil para ninguém, ainda mais para quem está com dois ou quase três meses de salários atrasados. É o caso dos servidores do Ibascaf, em Cabo Frio. Um grupo deles foi até a sede da Secretaria de Fazenda na manhã de ontem para tentar falar com o secretário Axiles Corrêa e ter alguma previsão de pagamento. Mas, segundo informações, Axiles não apareceu para dialogar e os aposentados mais uma vez ficaram sem respostas. O presidente do Sindicato dos Servidores, Olney Vianna, pretende recorrer à Justiça de novo para que os servidores recebam.

– Estou pensando em entrar com outra ação judicial. Só que agora exclusiva para os aposentados, pensionistas e auxíliodoença. Os atrasados eram de junho e julho. Pagaram junho e julho ficou em aberto. Pode também acontecer de ter alguém que não tenha recebido, mas como casos individuais, deverão ser resolvidos diretamente no Ibascaf - disparou Olney que informou que deve ingressar com a ação na próxima semana.

Mas das cinco pessoas entrevistadas pela Folha, todos afirmam que estão com três meses de salários atrasados. Contas acumuladas, juros altos que não param de crescer, o dinheiro que não chega e o desespero que toma conta . Esse é o quadro relatado por todos que assegurados que foram ouvidos pela reportagem. A aposentada Ressi Carriço, 86, é o retrato da indignação.

– É um absurdo o que estou vivendo. Compro fiado, as con- tas estão acumuladas, quando o dinheiro chega não dá para pagar nada. E eles não dão previsão – desabafa.

A professora Miriam Coroa dos Santos, 53, está aposentada há três anos e é mais uma da enorme lista de aposentados que faz malabarismos para viver.

– Estamos vivendo no sacrifício. Temos uma despesa alta, com filhos na faculdade, aluguel e transporte para o Rio. Lutamos por zelar nosso nome. Contas atrasadas, empréstimos para tentar resolver e acabamos prejudicados mais ainda. A parcela do imposto de renda altíssima, sem condições de pagar, enfim, um caos. Parece que estamos errados por termos uma formação melhor e por termos nos aposentado, pois alegam que não podem pagar acima de R$2800. O que nos deixa mais ainda sem esperança é que não podemos contar com a Justiça, ela não consegue resolver. Cadê o Ministério Público? O Tribunal de Contas, vereadores? Nada e ninguém para nos ajudar. Acabei de encontrar um amigo, também aposentado do Ibascaf, e cortaram a luz dele – relata a professora. 

A aposentada Nilva Jacuru, 55, tinha duas matrículas no município. Aposentou-se de uma em 2011 e da outra em 2014. Tinha planos de viajar e curtir tudo o que podia pelo período de contribuições que fez ao Instituto. Mas a realidade que vive agora é bem diferente do que imaginou. Hoje vive com as contas atrasadas, celular bloqueado, plano de saúde cancelado e no estresse de não saber o que fazer no dia seguinte.

– Nunca imaginei passar por isso. Só tenho esses vínculos. Trabalhei e contribuí tanto para isso.- desabafa a educadora.

Até o fechamento desta edição, a secretaria de Comunicação não informou quando os pagamentos serão efetuados.

 

Campanha para arrecadar alimentos

O Sepe Lagos lançou uma campanha virtual para arrecadação de alimentos para servidores e aposentados que estão sem salários. Os servidores pedem que quem puder contribua com a doação de um quilo de alimento, que pode ser entregue na sede do Sindicato – na avenida Julia Kubistchek, 16.

Na próxima sexta-feira (5), eles vão promover o Bazar da Solidariedade, em frente à Praça das Águas, a partir das 15h, também para arrecadar alimentos.

*Foto arquivo: No ano passado, os servidores já enfrentavam problemas de pagamento e invadiram o Ibascaf para cobrar solução.