Assine Já
domingo, 24 de outubro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
'MEDALHA DE LATA'

Municípios da região sofrem com precariedade na infraestrutura dos espaços esportivos

Cabo Frio e São Pedro da Aldeia iniciam programa para recuperação dos equipamentos

08 agosto 2021 - 12h49Por Rodrigo Branco

As Olimpíadas de Tóquio chegaram ao fim e, com o sucesso de atletas brasileiros nos Jogos, muita gente ficou inspirada a seguir os passos e saltos da ginasta Rebeca Andrade ou das jogadoras da seleção de vôlei. Mas como numa autêntica pista de obstáculos, o maior deles é a condição precária em que muitos dos equipamentos esportivos urbanos da Região dos Lagos se encontram, não apenas dificultando a revelação de futuros campeões, como na formação de cidadãos por meio do esporte. Nem mesmo a realização do maior evento esportivo do planeta no país há apenas cinco anos serviu para deixar de legado um maior cuidado com ginásios, praças e arenas.

Em Cabo Frio, o sucateamento dos equipamentos ao longo dos anos frustra aqueles que buscam espaço para a prática esportiva em meio à pandemia de Covid-19. Se por um lado, o município conta com a invejável condição de ter três ginásios, de outro; sofre com o fato de nenhum deles funcionar na plenitude.

Sem espaço coberto para poder fazer seus arremessos, o jovem Antônio Veras, de 16 anos, só consegue jogar basquete na Praça da Bandeira, na Passagem, e na Praça de São Cristóvão, onde falou com a reportagem.

– Até agora só vi duas quadras em bom estado. É bem difícil, alem do mais em estado de pandemia, não tem um time pra jogar. Então desanima um pouco – diz o rapaz, que acaba de se mudar do Rio para Cabo Frio.

A Prefeitura informou que, desde o início do ano, os equipamentos esportivos de Cabo Frio estão passando por reestruturação, recebendo reparos e pintura para voltarem a funcionar. Segundo a nota, os ginásios poliesportivos João Augusto, em Tamoios, e Vivaldo Barreto, no Jardim Esperança, já estão recebendo a população durante o dia, com aulas de zumba, funcional, capoeira e futsal. Por sua vez, o Correão sedia jogos da Série A2 do Cariocão.

A Secretaria Adjunta de Esporte e Lazer retomou as tratativas com a concessionária Enel para o restabelecimento da energia elétrica do Ginásio Alfredo Barreto, que voltará a sediar a sede da pasta. De acordo com o secretário Rodolpho Campbell, uma equipe está percorrendo as quadras esportivas da cidade para verificar a real situação de cada local e o que é preciso para que esses espaços estejam aptos para as atividades esportivas.

Em São Pedro da Aldeia, o problema de escassez de espaços esportivos é semelhante. No bairro Campo Redondo, a chamada Praça da Juventude, cuja construção foi iniciada em 2015, permanece inconclusa.
– Isso é um verdadeiro absurdo com a população. Um desperdício de dinheiro público que não traz nenhum retorno pra gente – cobrou o estudante Matheus Oliveira.

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia informou para a Folha que o município busca a aprovação, junto aos órgãos federais e estaduais, para o término da Praça da Juventude com diversos equipamentos para prática esportiva, com quadra poliesportiva, pista de salto, skate, campos de areia para futebol, vôlei e futevôlei.
 
Em resposta aos questionamentos da reportagem, o governo municipal  disse que realiza o mapeamento das praças existentes no município, caracterizando-as como espaço de convivência e/ou para prática esportiva. A Secretaria de Urbanismo e Habitação destaca que verifica as condições dos equipamentos e avalia quais reformas serão necessárias. A pasta também ressalta que amplia a pesquisa por áreas públicas com potencialidade para prática de esportes.

De outro lado, a Prefeitura aldeense informou que oferece atividades físicas gratuitas nas academias populares, localizadas no Centro e no bairro São João, além de treinamentos funcionais e ginásticos com profissionais especializados em localidades específicas. A Secretaria Adjunta de Esportes disponibiliza, ainda, tutoriais on-line de treinamentos físicos nos canais digitais da prefeitura para incentivar a prática de exercícios no período de pandemia, na comodidade do lar de cada cidadão. Presencialmente, a população também tem acesso às aulas gratuitas de canoa havaiana. O objetivo é ampliar o número de modalidades oferecidas à população. 

Arraial e Búzios mantêm escolinhas
 
No município de Arraial do Cabo, houve a recuperação recente de espaços como no Parque Público Hermes Barcellos, contudo algumas quadras públicas carecem de reparos e manutenção, como na Praça onde fica a Escola Municipal Adolpho Beranger, e nos distritos de Figueira e Monte Alto.
 
Apesar das limitações, a Prefeitura mantém escolinhas de esportes para a população. Segundo o governo cabista, a Superintendência de Esportes de Arraial do Cabo oferece diversas modalidades esportivas gratuitas para crianças e adolescentes entre 5 a 17 anos. As atividades acontecem de segunda-feira a sábado, no Estádio Municipal Hermenegildo Barcelos [Barcelão], Parque Público da Prainha e nos distritos de  Monte Alto, Figueira e Caiçara. 

As atividades esportivas oferecidas são: ginástica, treinamento funcional, hidroginástica, futebol, futsal, futevôlei, voleibol, jiu-jitsu, muay-thai, tênis, basquete, basquete em cadeira de rodas e atletismo. Em torno de 600 crianças e adolescentes participam. Para eventos e jogos, o estádio Barcelão, contudo, ainda depende de uma liberação do Corpo de Bombeiros.
 
Em Búzios, a aposta também é nas escolinhas de modalidades esportivas, como as de futebol, vela e surfe. No campo do Toca, há treino de atletismo para jovens e adultos. 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.