Assine Já
terça, 26 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22503 Óbitos: 742
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2960 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6068 247
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
explosão

Mulher morre em explosão por vazamento de gás em Cabo Frio

Letícia Carneiro teve 77% do corpo queimado e não resistiu; dois homens estão internados

10 julho 2017 - 10h32Por Redação I Foto: Divulgação Bombeiros
Mulher morre em explosão por vazamento de gás em Cabo Frio

Uma mulher morreu e dois homens ficaram feridos em uma explosão por vazamento de gás na madrugada desta segunda-feira (10) no Jardim Olinda, em Cabo Frio. O estrondo aconteceu depois que Letícia Carneiro da Costa, de 23 anos, ligou o interruptor de casa para atender ao chamado dos dois rapazes, Jeferson dos Santos Silva, de 21 anos, e Juan de Melo Aragão, de 20 anos, que foram ao local para avisá-la do vazamento.

O Corpo de Bombeiros foi chamdo e usou mais de cinco mil litros de água para conter o incêndio. Letícia foi levada para o Hospital Central de Emergências (HCE), de São Cristóvão, com 77% do corpo queimado e não resistiu aos ferimentos. O corpo ainda está no HCE aguardando liberação. Jéferson e Juan foram levados para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Burle com 50% dos corpos queimados. Eles estão internados com estado de saúde estável e não correm risco de morte.

Segundo a prefeitura, a Defesa Civil foi acionada por volta das 2h da madrugada desta segunda-feira (10) para verificar uma explosão de botijão de gás no local. O condomínio é composto por 16 apartamentos, dividido em dois blocos e um deles está interditado. As famílias que moram no bloco onde ocorreu a explosão foram encaminhadas para casa de parentes.

Em nota, a CEG Rio, responsável pelo fornecimento de gás encanado no local, informou que foi acionada pelos Bombeiros e que, por medida de segurança padrão, interrompeu o fornecimento de gás para o prédio. Tal medida visa permitir condição segura para o trabalho dos bombeiros no interior do prédio.

Segundo a assessoria da empresa, as causas do acidente estão sendo investigadas e as equipes da CEG Rio estão dando apoio ao trabalho da perícia. Por fim, a companhia esclarece que fornecia gás canalizado para o condomínio, mas que ao chegar ao local nesta manhã, identificou que o edifício fazia uso de outros tipos de gás não fornecidos pela Ceg Rio  - uma bateria de cilindros GLP e um botijão de  gás dentro do apartamento 104, no qual houve o acidente. Essa situação está em desacordo com o artigo 144 do Código de Incêndio e Pânico, decreto 897/1976.

(*) Matéria atualizada em 10/7 às 11:36h.