Assine Já
terça, 20 de abril de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
19ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 34054 Óbitos: 1273
Confirmados Óbitos
Araruama 8675 279
Armação dos Búzios 4115 54
Arraial do Cabo 1200 64
Cabo Frio 9216 453
Iguaba Grande 3308 82
São Pedro da Aldeia 4728 188
Saquarema 2812 153
Últimas notícias sobre a COVID-19
EM CABO FRIO

MPRJ solicita mudança de lei que permite com que o secretário de saúde presida o Conselho de Saúde

Recomendação afirma que a legislação é incompatível com uma Resolução do Conselho Nacional de Saúde

06 março 2021 - 10h50Por Redação
MPRJ solicita mudança de lei que permite com que o secretário de saúde presida o Conselho de Saúde

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) expediu no último dia 23 uma recomendação ao município de Cabo Frio para que encaminhe à Câmara Municipal da cidade – em prazo máximo de 20 dias –, um projeto de lei para reformar a Lei 1.545, de abril de 2001, que estruturou o Conselho Municipal de Saúde na cidade. A informação foi divulgada na noite de ontem (5). 

De acordo com a Recomendação, a legislação é incompatível com uma Resolução do Conselho Nacional de Saúde (CNS) em especial devido a seus artigos 4º e 5º, que preveem que o secretário municipal de Saúde seja membro nato e também presida o Conselho Municipal.

De acordo com o Ministério Público, o texto ressalta que a Resolução do CNS traçou as diretrizes para a criação, reformulação, estruturação e funcionamentos dos Conselhos de Saúde em território nacional, e que a autonomia representativa do Conselho Municipal de Saúde é premissa básica para o exercício de suas funções. 

Entre essas funções estão a fiscalização e o controle dos gastos públicos no setor, e o encaminhamento de denúncias de irregularidades na aplicação dos mesmos e na execução das políticas públicas da área para os órgãos de controle.

“Por tais motivos, o exercício da presidência do Conselho pelo secretário municipal de Saúde esvazia a ideia de democracia participativa, na medida em que impõe uma ingerência indevida dos governantes no espaço reservado pelo poder constituinte ao exercício direto do poder pela sociedade civil, comprometendo a própria cidadania”, destaca um dos trechos da Recomendação.
 
À Folha, a Secretria de Saúde de Cabo Frio informou que ainda não foi notificada e que irá avaliar a Recomendação. 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.