Assine Já
quarta, 20 de outubro de 2021
Região dos Lagos
19ºmax
16ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

MPF Praia Limpa realiza audiência pública para debater fazendas marinhas em Cabo Frio

Audiência acontece nesta quinta, no Shopping do Peró

22 maio 2019 - 11h43
MPF Praia Limpa realiza audiência pública para debater fazendas marinhas em Cabo Frio
O Ministério Público Federal (MPF) convoca a sociedade civil para audiência pública para debater nesta quinta, todos os detalhes do projeto de maricultura na Praia do Peró, em Cabo Frio (RJ), em razão da falta de transparência na outorga da licença. O encontro ocorrerá a partir das 15 horas no Shopping do Peró.

A atividade de maricultura trata-se do cultivo de organismos marinhos para alimento e/ou comercialização em tanques preenchidos com água do mar, mas no caso específico do empreendimento no Peró, serão usadas duas depuradoras com capacidade total de depurado de 80.000kg por dia.
 
O procurador da República Leandro Mitidieri recepcionará membros da sociedade civil a fim de esclarecer os possíveis danos ambientais que a população local e o meio ambiente podem sofrer em decorrência dessa atividade sem licenciamento. 

A audiência será realizada na praça de alimentação do Shopping do Peró, localizado na Av. dos Pescadores, 650, Cajueiro, Cabo Frio – RJ. A ação faz parte do projeto MPF Praia Limpa, que visa preservar as áreas de conservação ambiental e defender os interesses que impactam a sociedade. 

Entenda o caso – No início deste mês de maio, o MPF expediu ofício ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea), solicitando esclarecimentos sobre a existência de licença ambiental para a prática de maricultura na Praia do Peró, em Cabo Frio/RJ. Além da licença, o procurador questionou a instalação da fazenda marinha sem consultar o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
 
O prazo para a resposta do INEA é de 20 dias.
 
*Foto: Ernesto Gallioto