Assine Já
sábado, 31 de julho de 2021
Região dos Lagos
18ºmax
12ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46181 Óbitos: 1868
Confirmados Óbitos
Araruama 11325 353
Armação dos Búzios 5463 57
Arraial do Cabo 1574 87
Cabo Frio 12663 757
Iguaba Grande 4763 115
São Pedro da Aldeia 6144 273
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
ALTA TEMPORADA

‘MPF Praia Limpa’ faz audiência pública com barraqueiros

Procurador fez nova cobrança quanto ao ordenamento e a limpeza da Praia do Forte

04 fevereiro 2020 - 20h24Por Tomás Baggio

Barraqueiros da Praia do Forte participaram nesta terça-feira (4) de uma audiência pública com o procurador da República Leandro Mitidieri e representantes da Prefeitura de Cabo Frio. O objetivo do encontro foi adiantar o planejamento para o Carnaval, de modo a garantir ordenamento e limpeza da praia durante o período.

A audiência foi na Associação Atlética Cabofriense. Entre os pontos abordados esteve o apelo para que os comerciantes respeitem o limite de mesas e cadeiras estipulados para cada barraca. Além disso, foi pedido aos barraqueiros que colaborem com a limpeza da praia, disponibilizando lixeiras e depósitos de lixo.

Segundo o procurador Leandro Mitidieri, equipes do Ministério Público Federal irão fazer operações de fiscalização na praia a partir de agora.

– Esta audiência foi importante para relembrarmos todas as regras e obrigações. Reiteramos que cada ambulante precisa recolher o seu lixo, e isso agora não vai ficar apenas na recomendação, vai ter vistoria in loco. Quem seguir cometendo essa infração estará sujeito às sanções previstas, até mesmo o cancelamento da licença. Lembrando que muitas pessoas não conseguiram renovar suas licenças, a lista de espera é enorme, tem muita gente querendo trabalhar. Então quem não estiver fazendo o trabalho correto poderá dar lugar a quem está esperando para trabalhar –afirmou Leandro.

O comerciante Emerson Santana Amaral, que trabalha na Praia do Forte há quase 30 anos, concorda que é necessário um envolvimento maior para manter a areia limpa.

– É importante ter esse tipo de reunião porque, para muita gente, essas coisas entram por um ouvido e saem pelo outro. Eu estou há muito tempo na praia, entendo a importância disso, sempre fui atento a essa questão do lixo, fui até elogiado na outra reunião. A gente está de frente com os turistas, se a praia está suja, eles reclamam. Então temos que colaborar, somos importantes neste processo – afirma ele, esperando que o Carnaval tenha uma boa organização neste ano.

Outro tema levantado pelos comerciantes foi a proibição da cobrança por consumação. Eles alegam que são prejudicados nos casos em que os clientes levam suas próprias bebidas e querem sentar nos quiosques.

– Tem que ver o lado de todos, certo? Muitas vezes o turista leva a comida e a bebida, mas não leva a sombra. A praia é pública, mas nosso material é particular e nós pagamos uma taxa de uso do solo. Acredito que o mais justo seria que todos pudessem alugar as mesas e cadeiras, caso o turista não queira consumir, ou então que se possa transformar esse valor em uma consumação mínima. Se ele (turista) usa a sombra, deixa o lixo que a gente tem que recolher, é justo ter um meio termo – afirma.

A cobrança de consumação mínima é proibida por lei e qualquer mudança na regra teria que ser aprovada na Câmara de Vereadores e sancionada pelo prefeito. Sobre o recolhimento de lixo, a Comsercaf informou que cerca de 80 funcionários realizam a limpeza da praia duas vezes ao dia. Disse ainda que foram instalados 20 contentores nas principais saídas da areia, para que os banhistas possam descartar os resíduos. 

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.