Assine Já
sábado, 16 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
VEGETAÇÃO DANIFICADA

MPF cobra providências da Secretaria de Meio Ambiente sobre estacionamento irregular em Cabo Frio

Procurador da República também quer se reunir com equipe de transição para tratar das praias durante a alta temporada

23 novembro 2020 - 18h46Por Redação

O Ministério Público Federal (MPF) quer saber da Secretaria Municipal de Meio Ambiente quais as providências serão adotadas para evitar o estacionamento irregular em áreas verdes, sobretudo próximas às praias de Cabo Frio, durante a alta temporada. O procedimento foi adotado a partir de uma denúncia de que veículos têm parado sobre a vegetação de restinga na Praia do Foguete. As dunas do Peró  também estão na mira do MPF.

De modo particular, o ofício questiona a possível utilização de mourões usados para fazer demarcações nesses espaços, mas que prejudicam a livre circulação de banhistas na praia. O ofício foi enviado na última quinta-feira (19) e o prazo para resposta é de 20 dias. Com pressa para cobrar definições e estabelecer metas, o procurador da República em São Pedro da Aldeia, Leandro Mitidieri Figueiredo, quer marcar uma reunião para saber da organização das praias do município durante a alta temporada.

– Devemos fazer uma reunião para retomar tudo que foi combinado em relação às praias, para esse verão, e também com a nova gestão, pois a coisa ficou um pouco bagunçada nesse pós-Covid – declarou Mitidieri Figueiredo.

A intenção do MPF é que o encontro tenha a participação de representantes da equipe de transição do prefeito eleito José Bonifácio (PDT). Nesta terça-feira (24), Bonifácio se encontrará com o atual prefeito, Adriano Moreno, na sede do governo, para dar início ao processo de mudança de gestão.

Sobre a cobrança feita pelo Ministério Público, o secretário de Meio Ambiente, Mario Flavio Moreira, afirmou que a fiscalização já está sendo feita, mas reconhece que há limitações.

– Essa é uma ação que nós temos feito direto, nos verões e feriados, junto com a Guarda Municipal e a Guarda Marítima Ambiental. Esse é um problema em todos os lugares do município, mas não dá para cercar todas as praias. É inviável. Nos principais pontos, como no Pontal do Peró, nós já cercamos – explica Mario Flavio, que disse que a secretaria ainda não foi notificada.

(*) Matéria atualizada às 19h16.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.