Assine Já
domingo, 24 de outubro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
'NEM PENSE EM ME MATAR'

Movimentos de mulheres fazem ato contra o feminicídio na Praia do Forte

Ativistas fincaram 50 cruzes na areia durante manifestação realizada nesta quinta (29)

29 abril 2021 - 13h35Por Rodrigo Branco

Integrantes de associações e de coletivos em defesa da mulher fazem um ato naquinta-feira (29), na Praia do Forte, em Cabo Frio para dar início à campanha ‘Nem Pense em Me Matar’, de denúncia contra o feminicídio, no estado do Rio. O grupo fincou 50 cruzes na areia para representar as vítimas da violência contra as mulheres. O protesto em Cabo Frio faz parte de um movimento nacional que terá duração de dois anos, chamado ‘Levante Feminista contra o Feminicídio’.

Como não há dados estatísticos precisos, a quantidade de cruzes não representava necessariamente o número de casos de feminicídio, mas a cena chamou a atenção de quem passava pelo calçadão da orla, até por causa da quantidade de algas vermelhas trazidas pelo mar e que mudaram a paisagem da Praia do Forte, aumentando a carga de simbolismo da manifestação.

– Nós estamos juntas nessa campanha nacional que está tendo lançamento nos estados. Hoje é o lançamento no Rio de Janeiro. Nós elaboramos um manifesto que esperamos que tenha mais de 100 mil assinaturas para que a gente sensibilize a sociedade, o poder público e privado – movimentos sociais, Legislativo; Executivo, Judiciário – para a gente dar um basta no feminicídio no Brasil, em Cabo Frio, na região e no Rio de Janeiro. Porque o Brasil ocupa o quinto lugar no ranking de feminicídios. É a morte de mulheres por uma violência de gênero, que é o fato de ser assassinada pelo simples fato de ser mulher – explica Marileia Bezerra, do Movimento de Mulheres de Cabo Frio (MMCF) e da Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB Lagos).

O abaixo-assinado da campanha pode ser encontrado no endereço https://www.change.org/p/supremo-tribunal-federal-nem-pense-em-me-matar?fbclid=IwAR3Hb8kVv45zcSVlI_I019VZpfYlDLYnNzcSR6AYCHXn2bVBBKcVKsbP6dU.

Além das cruzes na areia, o ato teve uma faixa afixada no guarda-corpos do calçadão da praia. Por causa da pandemia de Covid-19, foram obedecidas as normas de distanciamento social, sem aglomerações, e higienização. A manifestação foi autorizada pela Prefeitura, que deu apoio por meio da Superintendência da Mulher. Além do MMCF e da AMB Lagos, a movimentação contou com o Setorial de Mulheres do PSOL. O lançamento da campanha no estado do Rio também teve um ato em São Pedro da Aldeia.

Segundo Marileia, entre janeiro e março, Cabo Frio registrou três casos de feminicídio, mas o número pode ser maior por causa da subnotificação. A ativista aponta que somente 10% dos mais de cinco mil municípios brasileiros possuem delegacias especializadas para mulheres. Nesse contexto, ela valoriza o trabalho das entidades de defesa dos direitos da mulher.

– O Movimento de Mulheres de Cabo Frio tem participado há muitos anos do enfrentamento à violência. Inclusive, a criação do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência foi um projeto do Movimento de Mulheres e hoje temos esse equipamento de funcionando. A Delegacia Especializada da Mulher (Deam) também foi uma luta nossa, como o atendimento à violência sexual, no Hospital da Mulher. Então temos muito engajamento e orgulho desse comprometimento. Achamos que estamos fazendo a nossa parte. Como movimento social não atendemos casos de violência, isso é papel do estado. O nosso papel é fomentar que o estado promova as políticas públicas. Estamos aqui denunciando e contribuindo a formular essas políticas, e encaminhando os casos que nos chegam – finaliza Marileia.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.