Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Itajuru

Moradores do Itajuru proíbem ônibus em rua no meio da comunidade

População reclama da quebra constante da tubulação de água e esgoto da via

09 julho 2016 - 08h41Por Gabriel Tinoco
Moradores do Itajuru proíbem ônibus em rua no meio da comunidade

Moradores do Itajuru, em Cabo Frio, deram um recado ao poder público na madrugada de ontem: “Salineira, nesta rua não”, dizia faixa estendida entre duas casas na comunidade”, na entrada da Rua Copacabana. O motivo: o peso dos veículos afeta constantemente as instalações de esgoto no local, provocando mau cheiro e risco de doenças. Eles também colocaram barricadas para impedir o tráfego. O pedido foi prontamente atendido pela empresa e pela Prefeitura – o trajeto foi alterado para que os coletivos que vêm do Jardim Esperança entrem na Avenida Júlia Kubstcheck, contornem o Largo Santo Antônio e avancem em direção à Praça de São Cristóvão.

No fim de semana passado, aconteceu o fato que foi a gota d’água. O esgoto cedeu e inundou a rua. Para piorar o cenário, o impacto da passagem dos ônibus têm causado rachaduras nas casas.

De acordo com informações da Coordenadoria de Transportes, 39 ônibus trafegam diariamente pelo local.

– O fluxo de veículos pesados é muito intenso naquela rua. Isso prejudica os moradores e a própria rua, porque as manilhas cedem e o encanamento da Prolagos é quebrado. Cada ônibus tem de 50 a 60 toneladas – comenta o coordenador de Transporte, Victor Moreira, que afirmou que não pode alterar o trajeto das linhas que passam por ali.

– A mudança definitiva da alteração não depende nem da Salineira nem da Coordenadoria de Transporte. Depende da Secretaria de Obras. O secretário (Paulo Castro) já está informado sobre o problema.

A Folha dos Lagos tentou entrar em contato com a Secretaria de Obras, mas as ligações não foram atendidas.