Assine Já
sábado, 23 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Mistério sobre peça encontrada no mar

Autor do livro sobre queda do Zeppelin na 2ª Guerra acredita na possibilidade de ser parte do dirigível

22 fevereiro 2019 - 09h02
Mistério sobre peça encontrada no mar

FERNANDA CARRIÇO

O mergulhador Jorginho de Paula encontrou uma peça que pode ser histórica no mar de Arraial do Cabo. Contratado por um empresário para resgatar equipamento de uma embarcação, Jorginho se deparou com outra peça no fundo do mar. Ainda não há confirmação por parte das autoridades, mas há divergências quanto à procedência do material: uns dizem se tratar de motor de uma aeronave da 1ª Guerra Mundial, enquanto outros afirmam ser da 2ª Grande Guerra. Acompanhado de mais dois integrantes da equipe de resgate, Mateus e Assis, o mergulhador levou um susto quando se deparou com a peça, que demorou cerca de três horas para ser resgatada e estava a 17 metros de profundidade, ao norte do Boqueirão, em Arraial do Cabo.

– Eram umas 6h da manhã. A gente estava fazendo o resgate da peça de uma embarcação que foi perdida de uma escuna. Chamou a atenção porque era uma peça estranha, que nunca vi, e o rapaz que trabalha comigo acessou a internet para fazer uma consulta. Eu pensei: ou é de avião ou de navio. Aí ele descobriu que era de avião. Foi aí que percebi que era algo importante e comuniquei à Capitania dos Portos, que enviou perito, mecânico e constataram que era de avião de caça e que era da 1ª Guerra Mundial – contou Jorginho, que ressaltou que o episódio também foi acompanhado por representantes da Marinha do Brasil e Ibama.

A peça pesa em torno de 300 kg e foi levada para a Praia dos Anjos. O mergulhador, que tem mais de 30 anos de profissão, espera que as autoridades decidam o destino dela. O historiador Pablo Magaton opinou:

– Se assemelha muito a um motor radial rotativo, que foi desenvolvido pouco antes da Primeira Guerra Mundial, sendo usado ainda na Grande Guerra. É muito importante que seja investigado, para uma datação mais correta e para que seja fonte de estudo para historiadores. O Brasil não teve uma grande importância na Primeira Guerra Mundial. Porém, a nossa costa precisava ser patrulhada e a nossa Região se encontra bem ao extremo do sudeste do Brasil, sendo uma área bem estratégica. Isso torna muito possível que esse motor seja de uma aeronave militar.

Arraial do Cabo esteve na rota das grandes guerras e, inclusive, o livro “K’36, O Zeppelin Que Caiu no Cabo”, de Leandro Miranda (Sophia Editora), conta a história da queda do dirigível no mar da cidade em 1944, na Segunda Guerra. Ao saber do fato, o autor do livro entrou em contato com o mergulhador para saber detalhes.

– Conversei com ele e o número de cilindros do motor são 9. O do Zeppelin também era 9. A localidade que ele encontrou, próximo ao Maramutá, também coincide, até onde eu sei não tem nenhum outro relato de acidente de aeronave próximo ao Maramutá. Como tem documentos falando que o Zeppelin foi todo desmontado, descido pros pescadores e transportado de canoas  para a Praia dos Anjos, há uma grande possibilidade de uma dessas peças ter caído e ter sido levada pela correnteza para onde ele encontrou. Acho que a possibilidade é muito grande – informou Leandro, que sonha em encaixar as peças deste quebra cabeças. 

A Folha entrou em contato com a Marinha do Brasil para obter informações sobre o material encontrado e não obteve resposta até o fechamento desta edição.