Assine Já
terça, 14 de julho de 2020
Região dos Lagos
23ºmax
15ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 279 8
Arraial do Cabo 9 88 11
Cabo Frio X 1037 64
Iguaba Grande 14 257 20
São Pedro da Aldeia 4 537 20
Saquarema 9 599 35
Últimas notícias sobre a COVID-19
missas

Missas mais animadas - O padre é pop!

Com seu estilo, Alex Renato, pároco em Arraial do Cabo, arrebanha a simpatia de fiéis mesmo de outras religiões 

13 setembro 2015 - 11h51

RODRIGO BRANCO

Hoje é dia de missa em Arraial do Cabo. O relógio se aproxima das três da tarde de mais uma preguiçosa tarde de sábado na cidade, quando se avista pais apertando o passo e puxando seus pequenos pelo braço a fim de não perder nada da celebração que está para acontecer. Como a ocasião pede, a exemplo do que acontece em outras cidades do interior, muitos vestem seu melhor traje, talvez para combinar com a imponência arquitetônica do local, a Igreja Sagrado Coração de Jesus, na Praia Grande.

A mobilização em um horário pouco habitual, com a criação da bem sucedida ‘Missa das Crianças’, é resultado de uma mudança ainda maior, está no comando na paróquia, ocorrida há pouco mais de oito meses, com a chegada do padre Alex Renato, de 41 anos, egresso da Igreja Nossa Senhora das Dores, no Ingá, em Niterói, onde ficou um ano e meio. Desde então, com carisma e didatismo, o religioso vem conquistando corações e mentes dos adultos e crianças cabistas, que se encantam com a cantoria e as peripécias de bonecos de fantoche. Mas apesar da popularidade, padre Renato rechaça a condição de ‘popstar’. 

– É o que estão falando (risos). Eu faço o que gosto de fazer. Sou feliz por ser padre, então em tudo o que eu faço, coloco amor, alegria e vontade. Então estou sempre tentando me renovar. Eu costumo dizer que estou sempre me reconstruindo. Porque não é fácil sempre manter a animação, mas a gente pede força ao Espírito Santo e ajuda a Deus e ele vai sempre renovando a gente – comenta o religioso que afirma que não esperava ser tão bem recebido logo de início.

*Leia matéria completa na edição impressa deste fim de semana da Folha.