Assine Já
terça, 07 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53859 Óbitos: 2198
Confirmados Óbitos
Araruama 12575 449
Armação dos Búzios 6589 73
Arraial do Cabo 1755 93
Cabo Frio 15647 903
Iguaba Grande 5581 147
São Pedro da Aldeia 7057 290
Saquarema 4655 243
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Ministério Público vai mediar negociação entre governo e servidores

Prefeito Adriano Moreno é esperado em reunião na próxima quinta-feira

19 julho 2019 - 09h24
Ministério Público vai mediar negociação entre governo e servidores

Servidores municipais e o prefeito de Cabo Frio, Adriano Moreno (Rede), têm encontro marcado para a próxima quinta-feira, na sede do Ministério Público Estadual, para mais uma rodada de negociação a respeito da fixação do calendário de pagamento e do reajuste salarial, entre outros direitos trabalhistas. 
A mediação da Promotoria de Tutela Coletiva vai acontecer pouco mais de um mês após o Sindicato dos Servidores de Cabo Frio (Sindicaf) protocolar uma representação pedindo a condenação do prefeito por descumprimento da lei que prevê o pagamento até o quinto dia útil. A representação também foi assinada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (SindSaúde) e pela Associação dos Fiscais Municipais (AFM).

– A gente vai tentar forçar um acordo para que o município respeite. A gente precisa finalizar as negociações que foram iniciadas. A gente quer saber dele (prefeito) para ter uma posição – comentou o diretor de imprensa do Sindicaf, Olney Vianna.

Apesar da reunião já marcada com a mediação do MP, os servidores tentam uma audiência com Adriano para tentar avançar na negociação. Ontem, foi protocolado um ofício para tentar um espaço na agenda do prefeito para uma nova rodada de conversa.

Greve da Saúde continua – Enquanto não há avanços sobre as reivindicações dos servidores, os funcionários da Saúde mantém a paralisação das atividades nas unidades municipais. De acordo com o presidente do SindSaúde, Gelcimar Almeida, a adesão ao movimento grevista está entre 40% e 50% dos efetivos. Com relação aos contratados, contudo, a realidade é outra.

– O grande problema é que há muitos contratados na rede e isso acaba não tendo um impacto maior – disse Mazinho, como o sindicalista é conhecido. 
A expectativa dos sindicatos é conseguir a adesão dos servidores da Educação no Movimento Unificado para pressionar ainda mais o governo. De todo modo, os impactos já são sentidos na rede, a ponto de outros municípios manifestarem as consequências. Nesta semana, por exemplo, a Prefeitura de Rio das Ostras emitiu uma nota para informar que seu Pronto-Socorro está lotado.

A Prefeitura de Cabo Frio negou e chamou a nota de “leviana”.