Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
mijódromo

‘Mijódromo’ do Carnaval segue causando problemas

Muro na Rua Tamoios, em Cabo Frio, continua sendo o point dos mijões

02 março 2017 - 20h25Por Texto e foto: Gabriel Tinoco
‘Mijódromo’ do Carnaval segue causando problemas

O ‘mijódromo’ está aberto no muro traseiro do Hotel Malibu, na Rua Tamoios, no centro de Cabo Frio. Os comerciantes e moradores da rua garantem que a situação se acentuou durante o Carnaval mesmo com as instalações de banheiros químicos no local. Eles dão nota zero para a catinga provocada pela urina e pedem mais vigilância para coibir a ação dos mijões.

A vendedora da Luiz e Trindade, Jéssica Soares, 25, conta que os fregueses preferem levar a empada para comer em outro lugar a aturar o mau cheiro.

– Está uma catinga. Sempre fica assim. Isso atrapalha bastante o movimento. Temos um cantinho ao ar livre e os clientes não querem sentar mais lá. Muitos compram e vão sentar em outro lugar.

Já o empresário Onofre Couto, 34, ouve frequentemente reclamações dos clientes.

– Lógico que atrapalha. Olha o cheiro que você está sentindo. As pessoas reclamam muito do cheiro. Minha sorte é que tenho ar-condicionado, o que ameniza o cheiro. Dessa maneira, a cidade fica à petição de miséria – dispara.

De acordo com o vendedor do Rei do Bacalhau, Daniel Ramos, 17, nem os banheiros químicos têm adiantado.

– Já faz um tempo que está assim. O Carnaval é a pior época, mesmo com banheiro químico. Tem gente que prefere fazer xixi na rua mesmo. Eles não estão nem aí. A situação piora à noite.

Quem tem que aturar o fedor diariamente é a vendedora de salgadinhos Jéssica Soares, de 25 anos.

– Fede para caramba. O cheiro é insuportável. Não sei como aguento passar o dia nessa catinga. Colocam banheiros químicos, mas não adianta. Os banheiros, às vezes, estão tão sujos que o mijão prefere fazer na rua mesmo – diz.

O corretor Thiago Costa, 39, é morador e sente o mau cheiro na porta de casa.

– Eles continuam mijando no muro sim. Fede a rua toda. O mau cheiro desvaloriza o imóvel e o comércio. Na rua, tem até restaurante – finaliza.

No Rio de Janeiro, a lei é bem mais apertada: os mijões podem ganhar multa de R$ 510.

A Prefeitura informa que instalou banheiros públicos em pontos estratégicos da cidade durante o Carnaval. Informa ainda que os guardas municipais trabalharam em regime de horas extras durante os dias de folia, aumentando assim o efetivo nas ruas, e que diversas abordagens foram realizadas com o objetivo de combater este problema.