Assine Já
quinta, 28 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
32ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22908 Óbitos: 767
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2989 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6139 264
Iguaba Grande 2043 50
São Pedro da Aldeia 3225 107
Saquarema 2294 117
Últimas notícias sobre a COVID-19
ECONOMIA

Micro e pequenas empresas fluminenses continuam com dificuldades para conseguir crédito

As principais razões para o crédito ser negado pelos bancos são o CPFs e CNPJs negativados

23 agosto 2020 - 12h24Por Redação

O governo federal prorrogou por mais três meses, o Pronampe,a linha de crédito para as micro e pequenas empresas. Desta vez, mais de R$ 12 bilhões serão disponibilizados para a manutenção dos pequenos negócios. O novo prazo para a formalização de novas linhas de crédito é importante para recuperar o capital de giro das MPEs. Novo levantamento do Sebrae, com foco no estado do Rio de Janeiro, aponta que, 64% dos empreendedores fluminenses pediram crédito às instituições financeiras e tiveram o pedido recusado, 22% aguardam resposta e apenas 14% tiveram o seu pedido atendido. A pesquisa ouviu 550 empresários, entre os dias 27 e 30 de julho.

As principais razões de crédito negado, quando informada pelos bancos, são o CPF negativado ou que a empresa encontra-se negativada no CADIN/Serasa. Existe uma parcela do empresariado que prefere ficar longe das instituições financeiras. A falta de capacidade de arcar com dívidas acima de sua capacidade operacional ou a avaliação de que a empresa não precisa foram apontados como razões para esse distanciamento / não darem entrada no pedido. Para a coordenadora de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae Rio, Taniara Castro, o alto índice de reprovação é causado pelo excesso de garantias exigidas pelas instituições financeiras.

"Em momentos de crise é preciso estimular o desenvolvimento econômico. Nossas pesquisas apontam as dificuldades que os pequenos negócios enfrentam para obtenção de empréstimos. A iniciativa de estender o Pronampe é a mais acertada. Os empresários precisam de uma linha de crédito simplificada. Da última vez, os recursos iniciais foram esgotados em 15 dias. A tendência é que mais empreendedores consigam essa receita para manter o negócio funcionando", explica a coordenadora.

Atualmente, o Rio de Janeiro conta com cerca de 1,6 milhão de pequenos negócios (MEI, micro e pequena empresa), responsáveis por 51% dos empregos formais do estado.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.