Assine Já
segunda, 18 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
Gatos

Matança de gatos deixa lojistas da Rua dos Biquínis assustados

OAB se mobiliza contra envenenamento de animais nos últimos meses

21 novembro 2015 - 10h25

A bárbarie que chocou a Gamboa, em Cabo Frio, onde oito gatos foram encontrados envenenados nos últimos dois meses, levou a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a agir para por fim à matança. A comissão de defesa do setor providenciou a castração e vacinação dos 15 felinos restantes para o controle no bairro. A OAB ainda alertou que, se os crimes continuarem, um processo será aberto para investigação.
A comissão encontrou uma caixa repleta de filhotes. Eles serão castrados e vacinados para serem encaminhados à doação. Uma reunião foi organizada com a Associação de Lojistas da Rua dos Biquínis para ouvir a opinião dos comerciantes sobre os gatos estarem no famoso centro comercial da Gamboa, um dos principais do município.
Quatro empresários se posicionaram contra a continuidade dos animais no local. Haverá um projeto para instalação de um ponto fixo de alimentação – serão inaugurados um comedouro e um bebedouro para os bichos.
A OAB também organizará cadastramento e vacinação para os gatos que forem abandonado e, logo após, serão encaminhados para doação.
De acordo com Fernanda Floriano, da comissão de defesa, um dos oito gatos envenenados já havia sido cadastrado.
– Tinham 25 gatos na Rua dos Bíquinis. Oito foram encontrados envenenados e não temos notícias de dois ainda. Os próprios lojistas se uniram para fazer a denúncia. Mas não há suspeitas ainda, portanto, não dá para fazer uma investigação. Não temos nenhuma prova. Portanto, realizaremos os cadastros. Por esse meio, poderemos controlar a quantidade de gatos do shoppping e prevenir esse tipo de crime – comenta ela, que também lembra de uma importância dos gatos para o shopping.
– Os gatos evitam a permanência dos ratos por ali. É até um benefício para alguns comerciantes, que se veem livres desse tipo de problema – completa.
A Folha dos Lagos tentou entrar em contato com a Secretaria de Agricultura, mas as ligações enviadas da redação não foram respondidas até o fechamento desta edição.