Assine Já
terça, 29 de setembro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8330 Óbitos: 430
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 491 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2757 145
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1341 54
Saquarema 1180 68
Últimas notícias sobre a COVID-19
diplomado

Marquinho Mendes é diplomado e pede pacto por reconstrução

Em discurso, prefeito eleito pregou união entre situação e oposição para tirar Cabo Frio do caos

16 dezembro 2016 - 06h46
Marquinho Mendes é diplomado e pede pacto por reconstrução

Com uma base parlamen­tar de pelo menos 13 vereado­res antes mesmo de assumir o mandato, o prefeito eleito de Cabo Frio Marquinho Mendes (PMDB) pregou a união entre situação e oposição, ontem, du­rante a cerimônia de diploma­ção dele; da vice-prefeita eleita, Rute Schuindt; dos vereadores e dos primeiros suplentes. A ceri­mônia, que durou cerca de uma hora, foi realizada no fórum da cidade, no Braga, apenas com a presença de autoridades, dos fa­miliares dos candidatos eleitos e da  imprensa da cidade.

Após a entrega dos certifica­dos, Marquinho, o único a ra­pidamente discursar, agradeceu ao seu grupo político, mas disse que conta com o apoio de todos os vereadores, pelo menos no início do mandato.

– Serei o prefeito de todos os 17 vereadores. As questões par­tidárias devem ficar no campo político-partidário. A reconstru­ção é necessária e pegamos a missão de reconstruir essa cida­de falida, com salários atrasados e com um passivo que ultrapassa os R$ 300 milhões. Quero divi­dir a responsabilidade com todos – declarou.

A diplomação de Marqui­nho aconteceu um dia antes da data prevista para a última ses­são de julgamento de processos no Tribunal Superior Eleitoral, marcada para hoje. Caso o TSE confirme o registro de candida­tura de Marquinho ou não haja julgamento, o prefeito eleito as­sumirá normalmente em 1º de janeiro, sendo que na segunda hipótese, o caso só voltará a ser analisado em fevereiro, após o recesso da Justiça. No entanto, tudo muda e novas eleições se­rão realizadas em caso de derro­ta em Brasília, fato considerado improvável pela defesa.

 

*Confira a matéria completa na edição de hoje da Folha dos Lagos