Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
marinha

Marinha retoma buscas por Guma

Embarcação de Cabo Frio está desaparecida desde o último dia nove 

28 setembro 2017 - 11h20
Marinha retoma buscas por Guma

A Marinha do Brasil retomou as buscas aos tripulantes do Barco Guma, desaparecido desde o dia 9 de setembro, a 45 milhas da costa de Arraial do Cabo. Seguindo uma rota contrária a que foi feita no início das buscas, a Marinha desta vez iniciou as buscas no Rio Grande do Sul em direção a São Vicente de Paulo, litoral de São Paulo. Segundo o comandante da Capitania dos Portos, capitão-tenente Rogério Sousa, estão sendo usados dois navios-patrulha, um rebocador de alto-mar, dois navios mercantes, uma aeronave SH-16, do 1º Esquadrão de Helicópteros Antissubmarinos, uma Aeronave UH, do 2º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral e uma C-130, da Força Aérea Brasileira.
As buscas chegaram a ser interrompidas no dia 17, mas foram retomadas no dia 20, a pedido da Colônia de Pescadores. Segundo o presidente da Colônia Z4, Alexandre Marques, as equipes da Marinha devem chegar à São Vicente no fim de semana.  Abatido com o sumiço dos quatro pescadores, Alexandre ainda mantém uma ponta de esperança.
- Eu já vi um caso de um barco desaparecido 28 dias aparecer. Nunca se sabe. A Marinha está empenhada, o comandante da Capitania me passa um relatório das buscas todos os dias – disse Alexandre.
O barco Guma fez o último contato no dia 9, quando o mar apresentava condições ruins, com ondas de até quatro metros e ventava muito forte. Desde então, não se tem notícias dos pescadores Luiz Mar de Sousa, José Mario Gonçalves, Aguinaldo Evangelista e Marcelo dos Santos. 
Um dos pescadores que iria na embarcação, Luciano Rodrigues, denunciou à Folha que o barco apresentava vários problemas técnicos, como falha no GPS e problema no motor. Ele afirmou que o barco chegou a ficar à deriva no mesmo lugar onde desapareceu dias antes. Mas o proprietário da embarcação, Gustavo Teixeira, negou.