Assine Já
sábado, 25 de setembro de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 51256 Óbitos: 2089
Confirmados Óbitos
Araruama 12211 437
Armação dos Búzios 6305 64
Arraial do Cabo 1689 90
Cabo Frio 14244 839
Iguaba Grande 5384 138
São Pedro da Aldeia 6892 286
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
capitania dos portos

Mar agitado dá muito trabalho aos Bombeiros e à Capitania

Segundo a corporação, foram mais de 600 salvamentos

11 fevereiro 2016 - 10h37

O reforço no contingente do Corpo de Bombeiros durante os dias de Carnaval mostrou-se providencial. A conjunção entre mar agitado e imprudência resultou em muito trabalho para a corporação nos dias de folia. Segundo o comandante do 18º GBM, Leonardo Couri, entre o último sábado e a terça-feira, a corporação fez 613 salvamentos nas seis praias sob a responsabilidade do quartel: Praia do Forte, Praia das Conchas e Peró, em Cabo Frio, Praia de Santo Antônio e Unamar, no 2º distrito, e Praia Grande, em Arraial do Cabo. Foram feitos 125 resgates no sábado; 229 no domingo; 190 na segunda-feira e 69 nesta terça-feira. Não foram registradas vítimas fatais.

De acordo com o comandante, não apenas as condições das águas dificultaram o trabalho da corporação, mas a grande quantidade de pessoas na região. Para  Couri, o trajeto de alguns blocos precisa ser revisto para o próximo ano, pois ‘atrapalharam um pouco o trabalho’. O comportamento dos banhistas também mereceu ressalvas.

– Muitos se aventuraram em caminhadas em locais de difícil acesso. Sob o sol, sem se alimentar. Muitas delas, pessoas de idade. Acabam passando mal – comentou.

Pelo menos um incidente fatal foi registrado por causa disso. Um homem de 63 anos morreu depois de fazer uma caminhada na Ilha do Farol, em Arraial do Cabo. Ele ainda chegou a ser socorrido por um helicóptero, mas não resistiu.

Para a Capitania dos Portos os esforços não foram menores. Ao todo, foram 1.160 abordagens e 36 notificações. Uma moto aquática foi apreendida por manobras irregulares no canal da Ogiva. De acordo com o comandante, capitão Jonas Oliveira, o menor número de autuações em relação a folgas anteriores se deve a uma mudança de uma estratégia.

– Desta vez, optamos por fazer um patrulhamento mais ostensivo e de presença. Ficávamos mais tempo abordando do que patrulhando, então o número de notificações era maior – explica.

Duas ocorrências tiveram destaque. Na praia do Canto, em Búzios, fortes ventos encalharam uma escuna, que precisou de reboque. Na Praia do Forno, em Arraial (foto), um barco adernou (inclinou), mas sem grandes consequências.