Assine Já
sexta, 03 de julho de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
15ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 325 Confirmados: 2996 Óbitos: 179
Suspeitos: 325 Confirmados: 2996 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 260 584 40
Armação dos Búzios X 250 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 943 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 24 455 16
Saquarema 17 484 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
mapa da violência 2016

Mapa da Violência 2016: Região dos Lagos assombrada pela violência

Estudo aponta a região como segunda pior do estado em homicídios

23 março 2016 - 09h28

O Atlas da Violência 2016, divulgado na manhã de ontem, trouxe más notícias para a Região dos Lagos. Segundo dados referentes a 2014, a microrregião é a segunda colocada em número de homicídios a cada 100 mil habitantes (55,43), atrás apenas da de Itaguaí (58,04) – Itaguaí, Mangaratiba e Seropédica. Os números estão no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, e foram cruzados com informações diretas da polícia.

O caso da Região dos Lagos – formada por Cabo Frio, Arraial do Cabo, São Pedro, Búzios, Iguaba Grande, Saquarema e Araruama – é tão preocupante que a área fica à frente, inclusive, do Grande Rio – Rio de Janeiro, Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Japeri, Magé, Maricá, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, São Gonçalo, São João de Meriti e Tanguá. A região metropolitana tem 11,8 milhões de habitantes e taxa de 32,31 a cada 100 mil. A Região dos Lagos, ao todo, soma pouco mais de 586 mil pessoas.

O melhor índice do estado (8,36) é o da microrregião Serrana – Petrópolis, Teresópolis e São José do Vale do Rio Preto. Também se destacam a de Itaperuna (11,03) – Itaperuna, Bom Jesus do Itabapoana, Italva, Laje do Muriaé, Natividade, Porciúncula e Varre-Sai – e a de Nova Friburgo (11,4) – Nova Friburgo, Bom Jardim, Duas Barras e Sumidouro. A de Macaé – Macaé, Carapebus, Conceição de Macabu e Quissamã – registrou 47,47 homicídios por 100 mil habitantes, uma das taxas mais altas do estado. A de Campos dos Goytacazes – Campos, Cardoso Moreira, São Fidélis, São Francisco de Itabapoana e São João da Barra – registrou 42,87. São consideradas microrregiões cidades limítrofes que têm o mesmo perfil econômico e social.

O estudo, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), aponta um panorama alarmante no Brasil: o país atingiu a marca recorde de 59.627 homicídios em 2014, com média de 29,1 para cada 100 mil habitantes, a maior já registrada. O número representa mais de 10% dos homicídios cometidos no mundo, o que leva o país à 12ª colocação no ranking mundial. 

 

*Leia a matéria completa na edição impressa da Folha dos Lagos desta quarta-feira.