Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
mapa da violência 2016

Mapa da Violência 2016: Região dos Lagos assombrada pela violência

Estudo aponta a região como segunda pior do estado em homicídios

23 março 2016 - 09h28

O Atlas da Violência 2016, divulgado na manhã de ontem, trouxe más notícias para a Região dos Lagos. Segundo dados referentes a 2014, a microrregião é a segunda colocada em número de homicídios a cada 100 mil habitantes (55,43), atrás apenas da de Itaguaí (58,04) – Itaguaí, Mangaratiba e Seropédica. Os números estão no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, e foram cruzados com informações diretas da polícia.

O caso da Região dos Lagos – formada por Cabo Frio, Arraial do Cabo, São Pedro, Búzios, Iguaba Grande, Saquarema e Araruama – é tão preocupante que a área fica à frente, inclusive, do Grande Rio – Rio de Janeiro, Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Japeri, Magé, Maricá, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, São Gonçalo, São João de Meriti e Tanguá. A região metropolitana tem 11,8 milhões de habitantes e taxa de 32,31 a cada 100 mil. A Região dos Lagos, ao todo, soma pouco mais de 586 mil pessoas.

O melhor índice do estado (8,36) é o da microrregião Serrana – Petrópolis, Teresópolis e São José do Vale do Rio Preto. Também se destacam a de Itaperuna (11,03) – Itaperuna, Bom Jesus do Itabapoana, Italva, Laje do Muriaé, Natividade, Porciúncula e Varre-Sai – e a de Nova Friburgo (11,4) – Nova Friburgo, Bom Jardim, Duas Barras e Sumidouro. A de Macaé – Macaé, Carapebus, Conceição de Macabu e Quissamã – registrou 47,47 homicídios por 100 mil habitantes, uma das taxas mais altas do estado. A de Campos dos Goytacazes – Campos, Cardoso Moreira, São Fidélis, São Francisco de Itabapoana e São João da Barra – registrou 42,87. São consideradas microrregiões cidades limítrofes que têm o mesmo perfil econômico e social.

O estudo, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), aponta um panorama alarmante no Brasil: o país atingiu a marca recorde de 59.627 homicídios em 2014, com média de 29,1 para cada 100 mil habitantes, a maior já registrada. O número representa mais de 10% dos homicídios cometidos no mundo, o que leva o país à 12ª colocação no ranking mundial. 

 

*Leia a matéria completa na edição impressa da Folha dos Lagos desta quarta-feira.