Assine Já
quinta, 24 de setembro de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8032 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1614 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 241 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1309 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
comsercaf

Mais R$ 9 milhões para a Comsercaf

Apesar de processo de extinção, autarquia recebe mais verba da Prefeitura

05 setembro 2015 - 08h56

NICIA CARVALHO

 

Eis o cenário: pagamentos de empresas contratadas atrasados, especialmente das operadoras do serviço de limpeza, bem como o salários dos respectivos funcionários, tentativa de demissão de trabalhador de uma das terceirizadas que ‘ousou’ denunciar estar a cinco meses sem receber e, somado a isso, lixo espalhado pelos quatro cantos da cidade como mostra o painel de fotos ao lado, em parte enviado por leitores da Folha. Mas, apesar da alegada falta da recursos anunciada a todo instante pela Prefeitura de Cabo Frio, esta semana o governo municipal formalizou aditivo de mais R$ 9,5 milhões para os cofres da Comsercaf, autarquia de limpeza que está fase de extinção.
– O prefeito disse que acabaria com a empresa em três meses, mas apenas no quarto mês mandou a mensagem para a Câmara, que já aprovou. E agora ainda coloca um aditivo para mais dinheiro numa empresa que está encerrando as atividades? É, no mínimo, curioso – disparou Aquiles Barreto (SD) .
Segundo ele, o processo que encerraria as atividades da empresa foi votado há três semanas e outras iniciativas como a mudança de funcionários da autarquia para a Prefeitura já haviam sido iniciadas, ainda que com quatro meses de atraso e sob protestos e manifestações de trabalhadores que alegaram perda de benefícios como cestas básicas. Pela mensagem 14/2015, apreciada pelo plenário da Câmara no mês passado e em entrevista à Folha, o prefeito havia informado que a secretaria de Serviços Públicos poderia ser o destino dos trabalhadores.
De acordo com a Lei Orgânica, a Prefeitura tem limite de até 30% para realizar suplementação em qualquer orçamento do governo, mas ao que parece esta seria, inclusive, a quarta suplementação que o prefeito faz este ano para os cofres da autarquia.

*Leia a matéria completa na edição impressa da Folha dos Lagos deste final de semana.