Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
limpeza

Mais limpa do Brasil? O caminho do entulho em Cabo Frio

Depois de ostentar o nobre título, a cidade convive com acúmulo de lixo em vários bairros

30 março 2016 - 09h27Por Gabriel Tinoco
Mais limpa do Brasil? O caminho do entulho em Cabo Frio

O entulho e resíduos de poda de árvores obstruem calçadas e entreada de residências (Gabriel Tinoco)

Os moradores do Jardim Caiçara e do Jardim Excelsior olham atentamente para o chão a fim de não tropeçar no entulho espalhado pelas calçadas.
O bairro cabofriense virou um verdadeiro depósito de mobílias, aparelhos eletrônicos, material de obra e galhos de árvores desde que o governo anunciou,em abril passado, que só faria a coleta do lixo. A Folha ouviu cabofrienses, que despejaram a culpa na própria população.

A coleta de lixo, por sua vez, ganhou vários elogios da população pela regularidade em que os caminhões da Comsercaf passam para fazer o recolhimento. A Folha tentou entrar em contato com a autarquia para saber se a coleta de entulho também será feita na cidade, mas ninguém
atendeu até o fim desta edição. O secretário de Serviços Públicos, Jailton Nogueira, informou que quem corta ou poda uma árvore deve levar os galhos
ao aterro sanitário.

O número de móveis e aparelhos eletrônicos espalhados pelo bairro é enorme. Na Rua Carlos Mendes, foram achadas duas televisões num espaço de pouco mais de dez metros. Os sofás abandonados também são encontrados com facilidade no lugar, muitos em perfeito estado. A contadora Aparecida Rodrigues, 47, caminhava com a filha pela Rua Natal, no Jardim Excelsior, e via móveis abandonados por toda parte.

– Ao longo da rua tem tudo. Em todos os lugares, há muito entulho. Levei minha filha na escola e precisei andar no meio da rua, porque na calçada não
dá para passar. De onde aparece tanto sofá e armário? As pessoas não têm educação – critica.

Leia a matéria na íntegra na edição desta quarta-feira da Folha dos Lagos