Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
lixo

Lixo incomoda a população do Peró

Moradores e turistas reclamaram da escassa coleta no feriado e pressionaram Comsercaf

31 março 2016 - 11h19Por Gabriel Tinoco
Lixo incomoda a população do Peró

O Peró, para muitos considerados um lugar de belezas naturais, tem um novo cenário após a Semana Santa: moscas rodandos pelos restaurantes e mau cheiro em plena orla da praia. O bairro foi tomado pelo lixo por causa do esquema de recolhimento. De acordo com moradores, o caminhão da Companhia de Serviços Públicos de Cabo Frio (Comsercaf) faz atualmente a coleta apenas duas vezes (nas quintas e sábados), o que deixa um amontoado de sujeira espalhado pelas principais ruas e até perto da orla.

A Folha dos Lagos entrou em contato com o diretor de serviços urbanos da autarquia, Alexandre Sant’ Anna, que afirmou que o caminhão passa três vezes (nas terças também) no bairro.

– Não podemos passar duas vezes. A cidade ficaria muito suja. Os moradores de condomínios, muitas vezes, deixam para despejar lixo acumulado logo no feriado prolongado. Os condomínios poderia também ter uma caçamba para facilitar o nosso trabalho – disse.

Uma das moradoras mais inconformadas com a porcaria era a ambientalista Graciete Figueiredo, de 57 anos. Ela destacou a pressão que a população do bairro fez para que a coleta passasse ao menos uma vez mais no Peró.

– Só fizeram a coleta depois que os moradores ligaram, mandaram mensagens no WhatsApp e pressionaram muito. O grupo ‘Amigos do Peró’ se reuniu para não deixar o bairro naquele estado. Havia resto de comida deixado pelos restaurantes, o que é absolutamente normal pelo movimento do feriado, e nada era recolhido. O Peró é um bairro turístico. E, além disso, tem muito morador aqui. O bairro tem vida própria. Não é deserto.