Assine Já
quarta, 27 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22908 Óbitos: 767
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2989 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6139 264
Iguaba Grande 2043 50
São Pedro da Aldeia 3225 107
Saquarema 2294 117
Últimas notícias sobre a COVID-19
Crise do coronavírus

Levantamento da Acia de Cabo Frio aponta que faturamento de empresas associadas caiu mais do que pela metade

Presidente da entidade, Patricia Cardinot alerta sobre o quadro crítico vivenciado pelos gestores do município; maioria que participou de pesquisa realizou demissões

19 maio 2020 - 14h24Por Redação
Levantamento da Acia de Cabo Frio aponta que faturamento de empresas associadas caiu mais do que pela metade

Uma pesquisa realizada pela Associação Comercial, Industrial e Turística (Acia) de Cabo Frio reflete o período fortes perdas sentidas pelos empresários por conta da crise do novo coronavírus. Entre os que participaram do levantamento, mais de 90% tiveram queda superior a 50%  no faturamento desde o início da pandemia. Mais da metade realizou demissões. 

As respostas sobre queda de faturamento se dividiram desta forma: mais de 50% (91,3%);  35% a 50% (5,8% dos votos); e de 20% a 35% (2,9% dos votos). Enquanto isso, 56,5% disseram que realizaram demissões, enquanto que 43,5% informaram que não demitiram funcionários. A pesquisa da Acia também aponta que, entre os associados, apenas 14,5% dos negócios estão em funcionamento neste período de quarentena, contra 85,5% que não conseguiram manter as atividades devido ao isolamento social. 

Sobre a flexibilização do funcionamento do comércio, a maioria (75,4%) demonstrou concordância à "abertura parcial, respeitando-se as recomendações de uso de máscara e álcool gel", enquanto que 11,6%  responderam que "concordam em reabrir o comércio imediatamente", encerrando assim o isolamento social. Em seguida, 7,2% optaram pela opção de "estender o período do isolamento social seguindo as orientações dos órgãos de saúde". E 5,8% concordaram em manter "o isolamento social  de maneira integral".  

Foi perguntado aos empresários sobre sobre o horário de funcionamento que consideram mais adequado para uma possível reabertura gradual do comércio: os turnos de 11h às 17h (31,9%) e 12h às 18h (15,9%) foram os mais votados. Outra pergunta foi sobre a frequência que os comerciantes iriam às ruas caso o comércio seja aberto, mediante autorização: "limitadamente, apenas quando necessário" (81,2%); "normalmente, sempre que quiser, sem preocupações com restrições" (15,9%); "não iria à rua" (2,9%).  

A Acia também apurou entre os associados a adesão aos programas de parcelamento de empréstimos oferecidos pelos bancos: as respostas que descartaram a adesão vieram à frente (43,5%), seguidos daqueles que optaram por aderir aos parcelamentos (30,4%); de outro lado, 26,1%  disseram não ter empréstimos. Além disso, 52,2% dos participantes responderam que não aderiram à Medida Provisória 936, que permite a redução de salário e jornada de funcionários através do complemento de remuneração feita pelo governo tendo como base o seguro-desemprego; já 47,8% responderam optaram por aderir ao programa.  

Participaram da pesquisa empresários do ramo de alimentação, moda e acessórios, óculos de praia, mercado imobiliário, vidraçaria, óculos de praia, advocacia, hotelaria, veterinária, consultoria empresarial, entre outros. Para a presidente da Acia, Patricia Cardinot, os resultados apontam um diagnóstico delicado. Ela avalia que, de modo geral, a resistência dos empresários do município está perto de chegar ao fim. 

"Os números são o espelho da agonia dos comerciantes, que já não têm vida fácil na normalidade. Muitos estão sendo heroicos em manter seu quadro de funcionários e o pagamento de fornecedores e outros compromissos. Mas até quando vão conseguir? Essa é uma pergunta que precisamos fazer, pois viveremos uma crise social muito grande caso os empresários não consigam sobreviver a esta verdadeira tempestade", concluiu Patricia Cardinot.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.