terça, 27 de fevereiro de 2024
terça, 27 de fevereiro de 2024
Cabo Frio
24°C
park logs
Park Lagos mobile
caça

Laudo sobre acidente com caça sai em 180 dias

Avião tem pane durante decolagem, sofre princípio de incêndio, mas piloto sai ileso

21 outubro 2019 - 21h45
Laudo sobre acidente com caça sai em 180 dias

O Comando do 1º Distrito Naval da Marinha do Brasil informou que sai em 180 dias o laudo com as possíveis causas da pane que levou um avião caça AF-1 a ter um princípio de incêndio na manhã de ontem na pista da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia. O incidente ocorreu durante o procedimento de decolagem. 

A aeronave do 1º Esquadrão de Interceptação e Ataque sofreu uma avaria enquanto desenvolvia velocidade e ultrapassou o limite da cabeceira da pista. Apesar do grande susto, o piloto, que não teve a identidade divulgada, não teve ferimentos.


A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação do Comando do 1º Distrito Naval para saber quais as possíveis hipóteses que levaram o caça a ficar danificado, mas não houve resposta até o fechamento desta edição. A Folha também tenta confirmar se as imagens que foram divulgadas nas redes sociais ontem correspondem ao acidente com a aeronave.


O modelo AF-1 é o mesmo da aeronave envolvida em outro acidente de repercussão na região, esse com final trágico. Em 26 de julho de 2016, o avião pilotado pelo capitão de corveta Igor Bastos, de 39 anos, chocou-se com outro caça durante um treinamento a 44 km da costa, na região de Saquarema. 


Depois de quase três meses de buscas no mar, o corpo de Igor não foi encontrado. Do acidente, restaram apenas algumas peças encontradas em diferentes pontos, como na Praia do Peró, em Cabo Frio; na Praia de Monte Alto, em Arraial do Cabo, e em Ponta Negra, no município de Maricá. O piloto da outra aeronave sobreviveu ao acidente.


A denominação AF-1 é uma designação dada pela Marinha do Brasil para o modelo A-4KU Skyhawk II. Trata-se de um modelo considerado obsoleto, usado em conflitos como a Guerra das Malvinas (1982) e a Guerra do Golfo (1990-1991). Foram compradas 23 unidades da Força Aérea do Kuwait, em 1997. 


Desde 2009, seis dessas aeronaves estão passando por processo de modernização, das quais já foram entregues cinco, a última delas em setembro. A previsão é que o trabalho seja concluído em 2020. Não há informação de que a aeronave envolvida no acidente de ontem seja da leva que foi modernizada.