Assine Já
domingo, 29 de novembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12084 Óbitos: 539
Confirmados Óbitos
Araruama 2426 118
Armação dos Búzios 1132 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1129 40
São Pedro da Aldeia 1874 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
Córrego Rico

Justiça recolhe documentos da Córrego Rico

Oficiais da 1ª Vara Cível de Cabo Frio recolhem documentos na prefeitura e na secretaria de Fazenda

19 maio 2016 - 16h20
Justiça recolhe documentos da Córrego Rico

Oficiais e vereador estiveram na sede da Fazenda municipal

O fim do expediente se aproximava na Prefeitura de Cabo Frio, na praça Tiradentes, quando a estranha movimentação no prédio chamou a atenção. Oficiais de justiça da 1ª Vara Cível da cidade estiveram ontem na sede do governo municipal e na secretaria de Fazenda para recolher documentos referentes aos contratos entre a prefeitura e a empresa Córrego Rico Transporte e Construção Ltda.

Autor de uma ação que exigia que toda a documentação fosse apresentada pelo prefeito Alair Corrêa (PP), o vereador líder de oposição Aquiles Barreto, do Solidariedade, acompanhou a ação. Ele afirma que a própria Justiça pediu sua presença na ação, mas disse que ainda não teve acesso ao conteúdo dos papéis.

– O oficial de justiça hoje (ontem) foi cumprir o seu mandado de busca e apreensão e pediu que eu como autor fosse verifibocar os contratos a serem mandados para a Justiça. Agora, vou ser comunicado para estar ter acesso aos documentos. A Justiça fez justiça e deu o meu direito de fiscalizar, mas ainda não tenho acesso aos documentos e não sei quais desdobramentos isso terá – comentou o vereador.

A relação entre a Prefeitura e a empresa, que aluga ao município veículos e máquinas, é alvo de polêmica pelo volume de recursos pagos à empresa – na casa das dezenas de milhões de reais, segundo o Portal da Transparência – em um cenário de crise financeira da cidade, atrasos no pagamento do funcionalismo e de outros prestadores de serviço e dificuldades na manutenção da cidade.

O parlamentar acionou judicialmente Alair em fevereiro, mas apesar da decisão do juiz Caio Romo, da 1ª Vara Cível, para que a papelada fosse apresentada, isso não aconteceu, mesmo sob pena de multa pessoal sobre o prefeito.

Atualizado em 20/05 às 10:59h.