sexta, 21 de junho de 2024
sexta, 21 de junho de 2024
Cabo Frio
26°C
Park lagos
Park Lagos 2
Geral

Justiça determina religamento de luz em praças de Cabo Frio

Concessionária tenta renegociar débito da prefeitura

01 novembro 2019 - 21h46
Justiça determina religamento de luz em praças de Cabo Frio
A Justiça obrigou a concessionária Enel Distribuição Rio a restabelecer o fornecimento de energia nas praças Alfredo Castro, em São Cristóvão, e da Cidadania, na Praia do Forte. Também foi determinado o religamento em prédios considerados estratégicos para a prefeitura. A liminar, concedida na noite de quinta-feira pela juíza da 2ª Vara Cível da Comarca de Cabo Frio, Anna Karina Guimarães Francisconi, previa prazo de 12 horas para o cumprimento da decisão, sob pena de multa diária de R$ 100 mil.
Por meio de sua assessoria de imprensa, a Enel informou que está ciente da liminar e que irá cumprir a determinação da Justiça. A empresa está avaliando se irá recorrer da decisão.
 
Negociação intrincada - A Enel cortou a luz de 17 unidades da Prefeitura de Cabo Frio na semana passada. Nesta quinta, a concessionária informou que flagrou ligações “irregulares” na Praça de São Cristóvão e na Praça do Teatro Municipal. Na ocasião, a concessionária disse, através de nota, que decidiu realizar o corte após tentar negociar o débito da prefeitura em diversas ocasiões. 
 
“A Enel reforça que somente tomou a decisão de interromper o abastecimento de energia nas unidades mencionadas após tentar negociar o débito com a prefeitura em diversas ocasiões. Quando o cliente efetua uma ligação irregular após o corte do fornecimento de energia, a regulação estabelece que a distribuidora suspenda imediatamente o fornecimento e cobre todos os custos envolvidos nessa operação”, diz a nota.
Nem a Enel nem a Prefeitura divulgaram o valor da dívida do município com a concessionária. Em agosto, quando houve uma série de cortes de energia de repartições da Prefeitura cabofriense, a Enel informou que a dívida estava em R$ 15 milhões. Já o governo municipal informou que reconhecia o valor de R$ 9,9 milhões.