Assine Já
terça, 19 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
liminar

Justiça de Arraial nega liminar contra Taxa de Proteção Ambiental

​Prefeito diz que tentativa da oposição de impedir taxa é ‘politiqueira’

30 agosto 2017 - 11h26Por Rodrigo Branco I Foto: Reprodução
Justiça de Arraial nega liminar contra Taxa de Proteção Ambiental

A implantação da Taxa de Proteção Ambiental (TPA) em Arraial do Cabo parou no tribunal e a oposição ao prefeito Renatinho Vianna (PRB) teve a primeira derrota. A Justiça da cidade negou ao vereador Ton Porto (PC do B) uma liminar que pretendia impedir não apenas a cobrança da taxa, como até a realização da audiência pública sobre tema, marcada para a próxima semana. Renatinho criticou a atitude do vereador, mas afirmou que não tem receio de que o caso se arraste judicialmente.

– Não temo batalha jurídica porque a gente está bem calçado, bem respaldado e esteve nos lugares onde houve sucesso. Pegamos toda a expertise, pautado sempre na transparência e exclusivamente na questão ambiental. A oposição é fundamental, tem que existir. Mas ela tem que ser feita de forma responsável, coerente, sem politicagem. Não deve ser feita pensando nas futuras eleições, que são apenas em 2020 – comentou o prefeito.

Na sua decisão, a juíza Sheila Draxler Pereira, da 1ª Vara de Arraial, afirmou que a Mesa Diretora da Câmara dos Vereadores não tem personalidade jurídica para ser réu no processo. Foi o Poder Legislativo que aprovou em abril o projeto do governo que estabelece a TPA. Entretanto, em função da grande polêmica criada, foi marcada a audiência pública, dia 5, para tratar da taxa, que Renatinho pretende implantar em 1º de janeiro.

Mais uma vez, o prefeito enfatizou que a TPA é ‘fundamental’ para alavancar as receitas em tempos de crise. Disse ainda que defenderá o projeto ‘com unhas e dentes’, mas prometeu ouvir a população sobre o assunto. Por fim, negou a tese de que a cobrança do ‘pedágio’ afugentará os turistas na alta temporada.

– Sem querer discriminar ninguém, nosso objetivo é botar um turismo de melhor qualidade no município. Muitas vezes o turista vem só para curtir a praia, mas deixa todo o ônus para o município, como a sujeira. São R$ 12 ou R$13 por veículo e não por pessoa. O momento de crise existe, mas temos que pensar em melhorar a máquina pública, sem onerar o munícipe – disse o prefeito.

Procurado, o vereador Ton Porto deu suas razões para recorrer ao Poder Judicário.

– Uma audiência pública não pode acontecer posteriormente à aprovação do projeto dentro da Câmara Municipal. O que nos motivou é a população, que é toda contrária a cobrança dessa taxa. Ontem (anteontem), na nossa ‘fanpage’, lançamos uma campanha ‘Eu sou contra a taxa e você?’, que já alcança números surpreendentes – disse, enquanto aguarda um novo direcionamento dos advogados.