Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Iphan

Iphan quer preservação do Lido, na Praia do Forte

Instituto defende criação de parque público e atenção às famílias

23 julho 2015 - 15h25

NICIA CARVALHO

A possibilidade de desocupação do Lido para criação de um parque público é defendida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A área, que fica à beira-mar na Praia do Forte, agrega cerca de 200 famílias. A discussão sobre o local volta à tona requentada por conta da especulação de construção de um hotel no local. A remoção dos moradores, no entanto, é tema polêmico, conforma a Folha publicou na edição da última quinta-feira.
Segundo o superintendente do Iphan, Ivo Barreto, o Lido tem vários problemas, e a preservação paisagística é um deles. A expansão da comunidade e os serviços públicos por ela demandados já urbanizaram mais de 15% da área, e a preocupação é a preservação do local.
– O controle urbanístico é baixo, a população cresce muito acima do permitido e o impacto ambiental é inegável. No entanto, a preservação deve atentar para dois desafios: a necessidade urgente de revitalização e a relação dos moradores com o lugar. São pescadores e trabalhos recentes de urbanização apontam que não faz sentido afastar o pescador do litoral – explicou.
Ivo afirmou, ainda, que Cabo Frio conta com Plano de Habitação de Interesse Social, que, no entanto, não é seguido e que poderia ser alternativa para deixar os pescadores próximos ao mar caso a criação do parque público fosse adiante. Segundo ele, o projeto do parque contempla ligação da Duna Boa Vista até o Morro do Índio.

A Folha tentou contato com a coordenadoria de Planejamento, que, segundo o secretário de Obras, Paulo Castro, seria responsável pelo levantamento para a possível desocupação da área, mas não conseguiu retorno. A Construtora Modular, por outro lado, responsável pela construção do hotel, não respondeu aos questionamentos sobre a negociação com a Prefeitura.
Hotel à vista? – O novo projeto que ronda o Lido é um empreendimento que, além de ações de melhorias no entorno, pretende construir no local um hotel com três pavimentos e 236 apartamentos. O custo, segundo a Modular, seria de R$ 80 milhões e a previsão é de que as obras se iniciem no próximo ano, caso o processo que hoje tramita na Prefeitura se resolva. O projeto prevê ainda a construção de uma praça para o bairro.