Assine Já
segunda, 25 de outubro de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
"DINHEIRO QUE JUNTEI A VIDA INTEIRA"

Investidores da Alphabets se desesperam e temem calote após fechamento da empresa

Folha traz relatos de pessoas que investiram economias na firma que anunciou encerramento das atividades na última semana

12 setembro 2021 - 13h04Por Cristiane Zotich

Em menos de 24 horas, duas empresas do setor de investimento financeiro fecharam as portas: a Investing Lagos e a Alphabets Investimentos Esportivos. As duas anunciaram o encerramento das atividades 
na última quarta-feira (8). Ambas tinham escritórios em Cabo Frio, assim como a GAS Consultoria Bitcoin, do empresário Glaidson Acácio dos Santos, preso no último dia 25 de agosto, durante a Operação Kryptos, da Polícia Federal, sob a acusação de montar um esquema de pirâmide financeira que movimentou R$ 38 bilhões nos últimos seis anos.

A Investing Lagos chegou a enviar uma comunicado aos consultores e investidores afirmando que sempre 
realizou os pagamentos rigorosamente em dia, mas precisou encerrar as atividades e rescindir de forma 
antecipada todos os contratos “diante da inadimplência ocasionada pelos traders contratados”. No mesmo 
comunicado, a empresa afirmou que ingressou com notícia crime junto à Delegacia de Defraudações informando sobre a ausência de restituição dos valores pelos chamados traders. Informou, também, que está se esforçando “para que o capital de todos os investidores comece a ser devolvido já a partir do próximo mês de outubro de forma gradativa”.

Encerramento da Alphabets enfurece investidores

Já a Alphabets, que se apresenta na internet como “fornecedora de um software gratuito de alta performance 
objetivando lucros e renda no mercado de apostas esportivas”, deixou um rastro de prejuízos ainda a ser 
calculado. O encerramento da empresa foi assunto de acoloradas conversas em redes sociais e em grupos 
de Whatsapp e Telegram, revelando não apenas a existência de vítimas em várias partes do Brasil, mas também que a falta de repasses já vinha acontecendo.

A Folha conversou com alguns desses investidores. Pedindo para não ser identificado, um rapaz contou que 
já costuma atuar no mercado de apostas esportivas, e conheceu a Alphabets através da postagem no Instagram de um consultor, que eles chamam de diretor executivo.

“Eu investi R$ 1 mil, e a promessa de retorno era de até 30% ao mês. No entanto, eu solicitei saque no mês passado, mas não recebi”.

O investidor contou que já estava um pouco desconfiado desde que apareceu uma matéria no Fantástico abordando a questão das pirâmides financeiras.

“Mas, pelo fato da Alphabets estar há mais de cinco meses no mercado, acabei investindo porque, 
geralmente, essas pirâmides quebram com dois ou três meses”.

Mesmo desconfiado, ele conta que a primeira reação ao saber que a empresa fechou as portas foi de preocupação. 

– Geralmente quando você utiliza dinheiro nesse tipo de mercado é um dinheiro que não vai te fazer falta. E aí eu acabei sendo um pouco ganancioso e coloquei um pouco mais: coloquei R$ 1 mil para ter uma renda de R$ 300/mês. Quando fiquei sabendo do fechamento da empresa, fui atrás de mais informações. Então eu meio que perdi a esperança de ter essa valor estornado – contou.

Glaidson teria falado sobre Alphabets Ao final de um vídeo de mais de 30 minutos, divulgado dias antes de sua prisão, o empresário Glaidson Acácio pediu às autoridades que investigassem uma “empresa que está em Cabo Frio falando que faz aposta de futebol”. Embora citasse exatamente o campo de atuação da empresa 
de Rogério Cruz, ele no entanto, não citou o nome da Alphabets. 

Morador do Rio de Janeiro, Elton Vaz era investidor das duas empresas e contou que conheceu a Alphabets através de um amigo que tinha um dinheiro investido.

– Eu tenho apenas um mês na Alphabets. Investi R$ 5 mil. Graças a Deus eu tinha esse dinheiro que guardei da GAS, e que continua me pagando até hoje. Com promessa de receber um retorno de 30% ao mês, ele conta que até hoje nunca conseguiu sacar dinheiro da Alphabets. Minha primeira tentativa de saque foi de R$ 425 que sumiu do sistema. A outra foi de R$ 465 – disse. 

Por isso, quando descobriu que a empresa fechou as portas, o sentimento que Elton teve não foi nada bom.

– Na verdade, a reação foi de ódio. Nunca tive resposta nem quando ainda estava funcionando, apenas de alguns supostos ‘gerentes’ . Fui até expulso de alguns grupos porque comecei a falar que era fraude, mas como já tinha investido, não tinha muito o que fazer – desabafou.

Outra pessoa de Cabo Frio, que também investia nas duas empresas, contou que já desconfiava que algo poderia dar errado. 

– Por isso só coloquei R$ 1 mil na Alphabets, achando que pelo menos cinco meses iria durar. Investi faz três meses, e recebi dois: uma parcela de R$ 378 e outra de R$ 358. Aí, nesse, que eu iria tirar o que tinha investido e pegar um lucro, teve essa confusão do hacker invadir o sistema que tem que migrar. Aí demorou pra migrar. E, quando migrou, estava faltando o valor que ficou na outra plataforma, que era de R$ 118. Avisei ao pessoal da empresa, e me falaram que iriam atualizar aos poucos. Aí, depois, teve essa 
de cobrar saque quando for tirar da Alphabets – contou o investidor, também revelando que continua recebendo retornos financeiros da GAS.

Uma investidora que pediu para não ser identificada contou à Folha que não esperava por esse desfecho porque a Alphabets passava confiança a todos os investidores. 

– Estou precisando colocar minha cabeça em ordem. Não investi muito, mas a gente acabou indicando algumas pessoas que foram lesadas. Quando soube do fechamento busquei maiores informações sobre a 
empresa porque eles passavam confiança pra gente.Colocamos dinheiro lá através de indicações. Então eu não esperava que ela fosse quebrar. Está sendo um baque bem grande. Estou tentando focar no trabalho porque a cabeça dá um nó. Ainda mais lendo a história das outras pessoas que pegaram empréstimo, que 
venderam carro… – contou.

Desde a semana retrasada, as notícias de que a Alphabets fecharia as portas começaram ser ventiladas em grupos de Whatsapp e também nas redes sociais. Na quarta-feira, por volta das 21h30, o perfil de Ro-
gério Cruz fez um comunicado oficial confirmando a notícia. 

“Informamos que, a partir de hoje, 08/09/21, estamos encerrando as atividades da Alphabets. O que nos motivou foi a total inviabilidade de migração para um novo sistema e, como já é do conhecimento 
de todos, houve diversos percalços, tais como duplicidade de pagamentos; invasão do nosso sistema; envio de comprovantes falsos; dentre outros. Dito isto, informamos que criamos um plano de pagamentos com bases sólidas, iniciado do zero e 100% enquadrado nas leis brasileiras. Por fim, agradecemos a todos 
pela confiança, pelo trabalho e pelo tempo que passamos juntos. Precisaremos de um prazo de 30 dias para o início e implementação do plano de pagamentos adotado. Pedimos desculpas pelos transtornos causados e nos comprometemos a honrar com a devolução integral de todos os valores recebidos”, informou Rogério 
Cruz, assinando como CEO da Alphabets.

Às 21h48 da quarta-feira (8), minutos após o anúncio de encerramento das atividades ser confirmado, alguns 
comunicados foram postados num grupo de Telegram da empresa, que reúne mais de 1.700 pessoas. Uma das postagens feita em nome da Alphabets pedia que todos os investidores tirassem print da quantidade de licenças ativadas “antes que possa acontecer do site cair”. No mesmo grupo investidores manifestaram 
preocupação. 

– Investi R$ 10 mil no mês 08. Foi o dinheiro que juntei minha vida toda. Sou enfermeira e lembro cada plantão 24h que dei me matando para juntar essa grana. Não recebi nem a primeira parcela ainda 
– postou uma mulher.

No Instagram, Rogério reúne quase 18 mil seguidores. Na mesma rede social é possível encontrar diversos perfis ligados à empresa. Alguns exibem a promessa de rendimentos de 30% ao mês. Já no site, a promessa era ainda maior, e vendida como algo bem simples: 

“Em apenas poucos cliques você já adquire nosso robô exclusivo, e todo lucro gerado a empresa cobra uma taxa de performance de 30% do lucro, exemplo: se você obtiver R$: 1.000 de lucro no mês a empresa fica com R$ 300 e você com R$ 700, nossos robôs obtém uma média de 1.2% a 3.2% ao dia e você acompanha 
todas as apostas diariamente 6 dias por semana”.

Para atrair clientes a empresa oferecia oito tipos de propostas, que variavam de investimentos a partir de R$ 100, até valores acima de R$ 100 mil. 

Quem é Rogério Cruz? 

- “De jogador de futebol, corretor de imóveis a gerente de restaurante, até me encontrar como trader esportivo”. Assim ele se apresentava no site da Alphabets.

“Faço o meu dinheiro render como nenhum outro investimento através do nosso robô de operações esportivas”.
 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.