Assine Já
domingo, 27 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
invasões

Invasões avançam em Monte Alto, distrito de Arraial

Construções irregulares se multiplicam nas dunas de área de preservação ambiental

11 maio 2016 - 10h06Por Rodrigo Branco
Invasões avançam em Monte Alto, distrito de Arraial

De acordo com moradores, para garantir o terreno, especuladores imobiliários constroem pequenos barracos e cercam a propriedade para venda (Reprodução de vídeo)

Problema recorrente na região dos distritos de Arraial do Cabo, as invasões em áreas de preservação ambiental permanente como Massambaba avançam sobre as dunas e sobre a vegetação e se aproximam do mar de forma preocupante.

O último flagrante nesse sentido foi feito pelo fotógrafo Felipe Terra em uma área que fica no distrito de Monte Alto, a cerca de dez quilômetros do centro da cidade. O profissional postou em sua página no Facebook um vídeo de aproximadamente 40 segundos no qual já é possível ver várias casas sobre a vegetação de restinga. Muitas são pequenas, inacabadas e parecem ter apenas um cômodo. Tudo apenas para demarcar o terreno, com o objetivo de vendê-lo.

– Ouvi o depoimento de alguns moradores dizendo que há muita especulação imobiliária. Grileiros que invadem, cercam e depois oferecem o terreno por uma uma quantia para pessoas da Baixada Fluminense. Tem construções que você vê que não há condições de morar, mas constroem um barraco só para garantir a propriedade. Para gente que vice do surfe há tanto tempo, é muito triste – comenta Terra.

Para o biólogo Eduardo Pimenta, a prática não é motivo apenas de lamentação, mas de preocupação. De acordo com o especialista, os danos são ambientais, sociais e econômicos.

– É uma área que faz parte do Parque da Costa do Sol e protegoda pelo Código Florestal, com várias espécies endêmicas como orquídeas. Além disso, não há a menor infraestrutura como saneamento e coleta de lixo. Tem que haver fiscalização nos três níveis municipal, estadual e federal – explica.

Até o fechamento dessa edição, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) não tinha se manifestado.

Em nota, a prefeitura de Arraial, por meio da secretaria Municipal de Ambiente, informou que a área em questão está inserida no Parque Estadual da Costa do Sol e que no verão deste ano foi realizada uma operação da Prefeitura Municipal em conjunto com o Inea - Instituto Estadual do Ambiente e com a Upam - Unidade de Polícia Ambiental. A Prefeitura de Arraial do Cabo se disse sempre pronta a apoiar as operações realizadas pelo Instituto e pela Upam.