Assine Já
terça, 18 de fevereiro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Apartamento
E TOME BURACO

Interrupção de recapeamento causa insatisfação no Peró

Prefeitura promete retomar trabalho na próxima semana e concluí-lo para o Carnaval

23 janeiro 2020 - 21h00Por Rodrigo Branco

Como esperado, muitos banhistas procuram as praias da região do Peró nesta alta temporada, mas até chegar a elas, os motoristas são obrigados a enfrentar uma verdadeira corrida de obstáculos, tamanha a quantidade de buracos na pista. Moradores e comerciantes do bairro reclamam da Prefeitura de Cabo Frio porque obras de recapeamento foram iniciadas no fim do ano passado, mas interrompidas ainda antes do Natal. Em nota, o governo municipal afirmou que as obras serão retomadas na semana que vem e concluídas antes do Carnaval. 

Enquanto isso, parte das ruas encontra-se com asfalto liso e outros trechos possuem autênticas crateras que põem em risco a integridade de quem tenta acessar o bairro e, muitas vezes, precisa fazer um perigoso ziguezague de uma pista para a outra. Os trechos que vão da entrada da praia das Conchas até a Praia do Peró e entre o DPO e a antiga subprefeitura do bairro são considerados alguns dos mais problemáticos.

Para o jornalista Elias Fernandes, a prefeitura não deu prioridade para as partes que mais precisavam de reparos e sim nas que poderiam esperar um pouco mais de tempo. O morador destaca que o local, por possuir uma praia certificada internacionalmente, deveria ter uma infraestrutura melhor cuidada.

– Está horrível. O governo começou tarde essa operação de recapeamento e com as chuvas que vão começar, vai piorar ainda mais. Fico admirado como Bandeira Azul autoriza o selo, porque a praia é linda e merece, mas os acessos e as praças do bairro são muito abandonados. Há uma inaptidão do governo – observa.

O zelador Eudes Bastos mora no bairro há 40 anos e disse nunca ter visto o asfalto das ruas ficar no estado em que se encontra atualmente. Eudes conta que comprou um carro recentemente, mas anda com cautela para não ter prejuízo. Por conta disso, ele cobra uma atitude imediata da prefeitura.

– Acho bom o prefeito levar uma dura para que o trabalho saia mais rápido porque isso espanta até os turistas. O bairro está cheio – observa. 

Quem também espera uma solução com urgência são os comerciantes que veem na situação um transtorno para os negócios. O empresário Márcio Côrtes, que possui uma lanchonete especializada em cachorro-quente na Praça do Moinho, conta que já ouviu inúmeras queixas de clientes sobre os buracos.

O comerciante comentou ainda que, recentemente, um entregador se acidentou de moto ao cair em uma das crateras. 

– É um prejuízo triplo: além de colocar meu colaborador em risco de vida, acaba quebrando a moto e a entrega não chega a tempo. E o cliente final não quer saber e reclama, por mais que a gente tente explicar. Até a gente conseguir reverter, perdemos o cliente – reclama.

Na nota enviada para a Redação, a prefeitura informou ainda que as obras foram paralisadas no período de festas de fim de ano, devido ao grande fluxo de veículos, provocado pelo aumento e retenção de turistas na cidade.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.