Assine Já
terça, 10 de dezembro de 2019
Região dos Lagos
27ºmax
20ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
SAÚDE

Intensificação da campanha contra o sarampo imuniza cerca de 700 pessoas em Cabo Frio

Vacinação de rotina continua nos postos de saúde do município

03 dezembro 2019 - 18h26Por Redação
Intensificação da campanha contra o sarampo imuniza cerca de 700 pessoas em Cabo Frio

A intensificação da campanha de vacinação de rotina contra o sarampo, promovida pelo Ministério da Saúde (MS) e realizada de agosto a novembro em todo o país, imunizou 721 pessoas em Cabo Frio. Destas, 346 são crianças de seis meses a quatro anos, público prioritário vacinado na primeira fase; enquanto 372 adultos de 20 a 29 anos e mais três crianças se protegeram na segunda etapa. A determinação do MS é de que a campanha de intensificação continue até que os estados da federação não apresentem casos confirmados da doença nos últimos 90 dias.

De acordo com o Departamento de Saúde Coletiva do município, metade das pessoas que estiveram nos postos durante toda a campanha de intensificação estavam com a vacinação em dia. Na primeira fase, 1.395 crianças compareceram às unidades e, na segunda, 578 pessoas procuraram os locais de vacinação.

“Os dados refletem duas análises: se por um lado poucas pessoas foram vacinadas, por outro indica que muitos dos adultos jovens de 20 a 29 anos, que eram o público-alvo do último dia D, no sábado, não foram vacinados porque estavam com cobertura vacinal completa. Já tinham duas doses da vacina tríplice confirmadas”, explicou a médica Lucy Pires, da Saúde Coletiva de Cabo Frio.

Segundo ela, o vírus do sarampo circula no Estado do Rio e a forma mais eficaz de proteção é a vacina, já que sem ela as pessoas ficam expostas a uma doença altamente contagiosa, que evolui para complicações muito graves e pode até levar à morte. A campanha de intensificação contra o sarampo foi estabelecida pelo MS no início de agosto.

Na primeira fase, 7 a 25 de outubro, o público-alvo prioritário foram as crianças devido à elevada incidência de surtos nessa faixa etária e por ser o grupo mais suscetível às complicações da doença (cegueira, encefalite, diarreia grave, infecções no ouvido, pneumonia). Contudo, a circulação do vírus no país também atinge adultos jovens até 29 anos e, por isso, é necessário que quem fizer parte de um desses grupos e que ainda não tenha se vacinado, que procure a unidade de saúde mais próxima e se proteja contra a doença.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.