Assine Já
terça, 18 de maio de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
17ºmin
Alerj
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 38507 Óbitos: 1467
Confirmados Óbitos
Araruama 9671 303
Armação dos Búzios 4715 57
Arraial do Cabo 1343 70
Cabo Frio 10353 542
Iguaba Grande 3845 93
São Pedro da Aldeia 5306 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
buzios

Insegurança, escuridão, lixo e lema são problemas em Boa Vista

Moradores do bairro buziano esperam investimentos de R$ 11 mi

30 maio 2014 - 13h35Por Rodrigo Branco
‘É a lama, é a lama’, já cantaram Tom Jobim e Elis Regina na clássica ‘Águas de Março’, mas com o mau tempo dos últimos dias, em pleno final do mês de maio, os versos se aplicam perfeitamente à atual realidade do Alto da Boa Vista, na Rasa, em Armação dos Búzios. Quando chove, o barro se acumula, misturado ao entulho deixado nas ruas de terra batida. O resultado é muita dificuldade de locomoção para os moradores, sobretudo os mais idosos, seja a pé ou de carro. A esperança está no aceno feito pela prefeitura para obras de reurbanização no valor de R$ 11 milhões, que devem começar em até um mês, segundo a Secretaria Municipal de Obras.
Enquanto as melhorias não chegam, a população sofre e lamenta.
–Aqui chove muito e as ruas ficam sempre desse jeito, completamente alagadas – comenta a baiana Maria José Gonçalves, 62, que caminhava lentamente e com dificuldade entre as poças d’água formadas para chegar à casa do filho.
Como parte do bairro fica em uma  elevação, um autêntico  ‘rio marrom’ corta as suas vias principais. O piso movediço e escorregadio compõe um cenário de carências que ninguém faz questão de esconder. Falta de saneamento básico, contornada com o uso de fossas e sumidouros; precariedade da iluminação pú-blica e ausência de áreas de lazer no lugar são os itens mais lembrados pela população do bu-cólico local, que apesar de pacato, já registra casos de violência por conta da pouca luminosidade ao anoitecer.
– À noite fica um breu e o pessoal está assaltando aqui à mão armada. Um vizinho  foi assaltado voltando do trabalho de madrugada – relatou o atendente Antônio Marcos da Silva Santos, 42, que também pediu a colocação de quebra-molas na Avenida Álvaro Elídio, antiga Estrada Velha da Rasa.
Leia matéria completa na edição impresa desta sexta-feira da Folha dos Lagos.