Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
20ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
inquérito

Inquérito vai apurar causa da morte de Mateus Pagalidis

Produtor cultural será sepultado nesta quarta (6), às 16 horas, no Portinho

06 setembro 2017 - 09h52Por Rodrigo Cabral | Foto: Arquivo Pessoal
Inquérito vai apurar causa da morte de Mateus Pagalidis

A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar a morte do produtor cultural cabofriense Mateus Pagalidis, 27, neste domingo, em São Paulo. De acordo com o delegado do 23º Distrito Policial (Perdizes), Marcel Bruziani, o corpo foi encontrado na Avenida Doutor Abraão Ribeiro 497, na Barra Funda, na sede da Sabesp. Trata-se de um lugar ermo, repleto de caixas d’água. Suspeita-se que Mateus tenha caído da escada que levava  ao topo de uma das caixas, de cerca de 30 metros de altura. Ele foi encontrado por um vigilante, por volta das 8h, que logo em seguida acionou a PM. Estava sem documentos de identidade e com diversos ferimentos pelo corpo. 

– Através do exame necroscópico, será possível apurar se houve alguma violência contra ele. Também será feito o levantamento das digitais, com a papiloscopia, e o exame toxicológico – disse o delegado. 

De acordo com Marcel Bruziani, o local onde o produtor foi encontrado causa estranheza.

– O que ele estaria fazendo lá? É um lugar abandonado, ermo. Inclusive, está em obras, pois ali está sendo construída a Fábrica do Samba. Precisamos juntar o conjunto de informações para saber o que realmente aconteceu – afirmou.

Serão chamados para prestar depoimento o pai de Mateus Pagalidis, Evangelos Pagalidis, diretor do Forte São Mateus, Alexandre Pillar, amigo que viajou com  o jovem para São Paulo, o vigilante da Sabesp, identificado como Francisco, o taxista que esteve com ele momentos antes de sua morte, identificado como Antonio, e a produção de uma festa onde Mateus passou parte da noite.

Mateus viajou para São Paulo para assistir ao show da banda de rock The Get Up Kids, no sábado, no Carioca Club, na zona oeste de São Paulo. Terminado o evento, decidiu separar-se do amigo Alexandre Pillar, que o acompanhava e com quem dividia quarto num hotel, para seguir em direção a outro destino: a festa Carlos Caps Lock, no bairro Ipiranga, na zona sul. Depois, o jovem desapareceu.  

Por volta das 6h, o taxista Antonio ligou para Alexandre e relatou que Mateus dizia ter sofrido um golpe e que havia sido drogado. Segundo o motorista, Mateus abriu a porta do carro em movimento, na Região da Ponte da Casa Verde, na Barra Funda. Essa ponte fica a 600 metros do local onde o corpo foi encontrado. 

– O taxista era muito gente boa, muito gentil. Estava com as melhores intenções, mas estava triste porque teve, nas palavras dele, “Mateus nas mãos e ele fugiu”. Ele fez mutirão com outro taxistas em São Paulo para ajudar nas buscas – conta Alexandre, lembrando que o amigo aparentava felicidade e tranquilidade durante o dia. 

– Estava ótimo, se divertiu à beça no show e quis ir para o outro. Estava tranquilo e feliz. O Mateus nunca demonstrava tristeza.

Enterro será às 16 horas desta quarta (6)

O enterro está marcado para hoje, às 16h, no Cemitério Santa Izabel. Ontem, a Câmara Municipal de Cabo Frio concedeu moção de pesar à família. Nas redes sociais, a notícia logo causou grande comoção. Dezenas de amigos postaram textos ao longo do dia com memórias sobre Mateus.

“Há tempos ele vinha entrando em uma fase muito ruim. O que aconteceu foi uma conseqüência muito triste. É importante dizer que foi um surto psicótico. Ele estava fora de si. O Mateus que a gente conhece todo mundo sabe como era. Sempre admirei muito esse menino! O jeito de ser, de tratar os outros, sempre amigo de todos, muito talentoso! Fazia música como ninguém que eu me derretia toda. quando ouvia. Quem é nosso amigo próximo sabe quanto nossa relação tinha seus problemas, mas mesmo nos piores momentos, eu nunca quis me afastar. Eu amei muito esse menino”, escreveu Maria Carolina Fernandes, namorada de Mateus, que liderou as buscas nas ruas de São Paulo ao lado de amigos.

Um evento que Mateus estava organizando para esta quinta (7), com a banda japonesa FlipoutAA, será mantido como forma de homenagem.