Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
19ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7847 Óbitos: 412
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 473 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
abetsenção

Índice de abstenções aumenta 30% na eleição deste ano

Em Búzios, o maior salto: o percentual passou de ​11,43% para 17,44%.

09 outubro 2016 - 06h50Por Rodrigo Branco | Foto: Evandro Mureb
Índice de abstenções aumenta 30% na eleição deste ano

Em Cabo Frio, número de votantes foi menor este ano (Evandro Mureb)

Fosse um candidato, o índice de votos em branco, nulos e abstenções somados na eleição municipal do último domingo iria para as cabeças. Em quatro municípios da região (Cabo Frio, Arraial, São Pedro e Búzios), o percentual médio de eleitores que não foram às urnas foi de 20,41% contra 15,82% em 2012 (aumento de 30%). Nas quatro cidades, o índice de abstenções cresceu: em Cabo Frio, de 17,28% para 22,21%; em Arraial de 15,65% para 20,20%; em São Pedro, de 18,94%para 21,82% e em Búzios, o maior salto, de 11,43% para 17,44%. Já em relação aos votos em branco, o desinteresse nos candidatos, embora em menor proporção, também aumentou: de 1,54% para 3,05% em Cabo Frio; 1,20% para 1,53% em Arraial; 1,69% para 1,91% em Búzios; e 3,04% para 3,27% em São Pedro.

O quadro se repete para os votos nulos, sem levar em conta as impugnações do TRE. Em Cabo Frio, o número saltou de 3,44% para 5,37%; em Arraial de 3,49% para 3,66%; em Búzios de 2,84% para 3,34% e em São Pedro de 5,61% para 6,64%. 

Especialistas não chegam a uma conclusão sobre as causas do fenômeno, mas levantam uma série de hipóteses que ajudam a desnudá-lo e na raiz de todas elas está o desencanto com a classe política em todas as esferas de representação pública. Para o historiador Paulo Cotias, a divulgação dos casos de corrupção tem influência na decisão de abrir mão da escolha.

– É uma rejeição ao atual modelo político. Creio que o grosso desse número de abstenções e votos nulos se dê em especial na classe média em geral, em virtude de uma maior politização – diz ele, que prossegue – As reformas não aconteceram de todo e, apesar do financiamento de campanha ter sido proibido, a quantidade de pessoas arregimentadas por candidatos mostra o poder de fogo do caixa dois. As massas ainda, apesar de reclamarem, são participantes porque são contratadas e diretamente beneficiadas por esse tipo de campanha – conclui.

Para o professor Wellington Trotta, além dos escândalos, contribui para a descrença do eleitorado o fato de não enxergar capacidade para resolver os problemas mais básicos do cotidiano, como o problema do posto de saúde ou o preço do aluguel. Para o estudioso, o quadro nacional também afetou a decisão de muitos de passar longe das seções.

– A Lava-Jato denunciou as maracutaias dos grandes empresários, dos grandes políticos, e o PT causou uma grande desilusão por vir com aquele discurso moralista – acredita.

O também historiador e colunista da Folha Paulo Roberto Araújo ressalta que o cenário se repete pelo país, mas que no município a crise acentua o desejo de mudança.

– No caso de Cabo Frio, a coisa ainda fica pior por conta da crise sem precedentes por que passa a cidade. Na prática, é como se o eleitor não quisesse mais saber deste tipo de política e nem destes políticos. Existe um desejo muito grande que novos personagens assumam a política
e é isso, na minha opinião que explica por quê a maioria dos vereadores não se reelegeu.