Assine Já
sábado, 26 de setembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8076 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 483 10
Arraial do Cabo 242 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 671 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Incerteza sobre o 13º salário impede que vendas de Natal decolem

Na região, apenas Arraial confirmou a data do pagamento integral 

16 dezembro 2015 - 09h50Por Rodrigo Branco

Aguardado como nunca pe­los trabalhadores, o 13º salário é visto como a redenção para o comércio depois de um ano mar­cado pelas turbulências de uma economia em convulsão.

– Sinto que todo o comércio está parado. Não há dinheiro circulando. E, com certeza, isso tem a ver com o 13º – comenta a empresária Li Dias.

Mas, no que depender da ir­regularidade do calendário de pagamentos nas prefeituras, o aquecimento das vendas do pe­ríodo pré-natalino vai ficar a cargo do dinheiro pago aos fun­cionários da iniciativa privada, embora em 30% dos casos, con­forme pesquisa publicada ontem na Folha dos Lagos, a preferên­cia é pela cautela e o pagamento de dívidas.

Na região, apenas Arraial do Cabo confirmou a data do pa­gamento integral da gratifica­ção, que sai hoje. Em Búzios, a movimentação nas lojas vai ser garantida como o pagamento da primeira parcela, feito apenas ontem. Já a segunda parte, que pela legislação deveria ser depo­sitada até o dia 20, está prome­tida pela prefeitura até o fim do ano.

Em São Pedro da Aldeia, a previsão é que o dinheiro caia na conta dos servidores munici­pais dentro do prazo legal, mas segundo a assessoria de Comu­nicação da cidade, “a conjuntura financeira não permite antecipar a data correta”.

Situações que não tranquili­zam, mas ainda melhores que a atual vivida por Cabo Frio, onde o prefeito Alair Corrêa já admi­tiu a possibilidade de não pagar o direito, alegando falta de re­cursos em caixa.

Ocupado com a campanha #VemPraRua, da Associação Comercial de Cabo Frio, o pre­sidente Eduardo Rosa de An­drade enfatiza a importância que o benefício tem para injetar recursos no desanimado comér­cio cabofriense.

– Sem dúvida, o 13º é um di­nheiro que impulsiona mais as vendas. Apesar da crise, isso é revertido para a nossa economia. É o que boa parte dos empresá­rios está esperando para alavan­car os negócios – atesta Dado.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta quarta-feira (16)