Assine Já
sexta, 14 de maio de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
http://www.alerj.rj.gov.br/
TEMPO REAL Confirmados: 38094 Óbitos: 1459
Confirmados Óbitos
Araruama 9614 300
Armação dos Búzios 4695 57
Arraial do Cabo 1317 69
Cabo Frio 10146 538
Iguaba Grande 3800 93
São Pedro da Aldeia 5248 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
DE OLHO NO RÉVEILLON

Hotelaria de Cabo Frio tem boa expectativa para o Réveillon 2021

Expectativa dos empresários do setor é de ocupação quase total

09 novembro 2020 - 09h53Por Julian Viana

O ano de 2020 foi de aprendizado e muitas mudanças para todo mundo. Neste ano atípico, você já parou para pensar como será o Réveillon na cidade de Cabo Frio? Para a hotelaria, por se tratar de um período de altíssima temporada, as expectativas estão lá em cima também. 

Para Carlos Cunha, presidente da Associação de Hotéis de Cabo Frio, a expectativa para a ocupação é a mesma do ano passado. A hotelaria de Cabo Frio espera ocupar neste Réveillon 98% da rede hoteleira. 

– A época de Réveillon é de altíssima temporada. Neste período, nos atentamos na divulgação do destino com o intuito de atrair mais pessoas, que já veem naturalmente. Posso dizer, com toda a certeza, que a expectativa de ocupação é a mesma do ano passado – conta Carlos. 

No final de julho deste ano, a Prefeitura Municipal de Cabo Frio disse que a tradicional festa de Réveillon na praia com shows e fogos de artifício não será realizada por medidas de segurança contra a disseminação do novo coronavírus.  

Carlos Cunha afirma que a decisão da Prefeitura em relação aos shows e queima de fogos não prejudicará a hotelaria da cidade. 

– Para a gente, essa decisão é indiferente, até porque esse movimento de não ter queima de fogos e shows não está acontecendo, apenas, na cidade de Cabo Frio. A cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, com o maior Réveillon de todo o Brasil [Copacabana] também já anunciou que não haverá queima de fogos, e nem por isso, a hotelaria está preocupada em não ter a ocupação – conta o presidente. 

Cunha alega que a ocupação virá naturalmente. Ele ainda diz que o que causa mais preocupação é a questão da segurança pública, já que não haverá um evento organizado pela própria Prefeitura, dando margem a elaboração de eventos por conta própria. 

Questionada pela Folha dos Lagos sobre a realização de alguma programação alternativa durante o período do Réveillon, a Prefeitura disse em nota que “as normas de combate ao novo coronavírus previstas no decreto 6.376 seguem vigentes”. O decreto mencionado pelo órgão consiste em autorizar o funcionamento das atividades econômicas que menciona, durante o estado de calamidade pública para enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus, e introduz alterações no decreto 6.362 do dia 16 de outubro de 2020.

Ainda de acordo com Cunha, até o momento, a Prefeitura autorizou 90% da ocupação hoteleira.

– Se a pandemia continuar do jeito que está [mais controlada], através da conversa, poderemos atingir os 100% de ocupação a partir de dezembro. Acredito que o Réveillon bem trabalhado será o início da recuperação econômica dos hotéis – conta Cunha.

A matéria completa está na edição impressa da Folha dos Lagos, de 6 a 12 de novembro, em todas as bancas.
 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.