Assine Já
sábado, 06 de março de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
23ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 27180 Óbitos: 935
Confirmados Óbitos
Araruama 6957 183
Armação dos Búzios 3258 33
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7501 359
Iguaba Grande 2573 58
São Pedro da Aldeia 3575 130
Saquarema 2451 134
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Hospital da Mulher não recebe novos pacientes

Após Adriano ‘peitar’ Cremerj, prefeitura admite unidade estar sob intervenção 

21 maio 2019 - 08h49
Hospital da Mulher não recebe novos pacientes

Após muito ‘disse-me-disse’, a Prefeitura de Cabo Frio informou ontem que o Hospital da Mulher está funcionando apenas parcialmente, depois da interdição ética feita pelo Conselho Regional de Medicina (Cremerj), feita na última quinta-feira. De acordo com o governo municipal, apenas as 11 pacientes que já estavam internadas continuam sendo atendidas na unidade, apesar de o prefeito Adriano Moreno (Rede) ter garantido que o atendimento estava sendo feito normalmente.

Enquanto isso, o Hospital da Missão, em São Pedro, já não está recebendo mais gestantes. O encaminhamento está sendo feito para hospital em Bacaxá. De acordo com a prefeitura, no momento, “todas as adequações estão sendo feitas” no Hospital da Mulher, e não foi realizado nenhum novo atendimento pois os médicos podem ser penalizados”, uma vez que a interdição trata não do fechamento das instalações físicas, mas da proibição da atividade profissional.

Após afirmar que teria convencido os conselheiros a retirar a interdição mediante a assinatura de uma carta de intenções, o que foi negado, Adriano esteve na sede do Cremerj, na sexta, mas não conseguiu ser recebido pelo presidente Sylvio Provenzano. De diretores da entidade, ouviu que apenas o plenário poderia retirar a interdição, uma vez que a mesma instância é que decidiu pela medida.

A postura ambígua em relação à interdição causou problemas no fim de semana por causa da desinformação. Um dos que deu viagem perdida foi o professor Moisés de Oliveira. No sábado, ele buscou atendimento para a namorada, grávida de 32 semanas. Como não foi recebida, teve que buscar auxílio em São Pedro da Aldeia, onde está até agora.

– A noticia era de pleno funcionamento (do hospital). Ainda na sexta pela manhã, perguntei a alguns amigos, pois ela já apresentava dores no baixo ventre, que aumentou no sábado à tarde. Levei ela até o Hospital da Mulher e, chegando lá, recebemos a informação que não haveria atendimento nem mesmo para urgência ou emergência

Ou seja, contrariando a primeira informação – relata Moisés.

Na maternidade de São Pedro, a namorada do professor ficou internada em um dos três leitos disponíveis, pois boa parte da unidade se encontra interditada por causa de infiltrações decorrentes das chuvas. Caso não tivessem conseguido, teriam que se deslocar para Bacaxá, no município de Saquarema. Após o corre-corre, a namorada de Moisés está bem. 

– Na verdade já esperava algo desse tipo (não ser atendido em Cabo Frio), por isso já fui preparado. Mesmo assim, o sentimento de decepção é existente - comentou o professor, que relatou a experiência nas suas redes sociais.

Segundo a prefeitura, a direção do Hospital Municipal da Mulher enviou ofício para todas as unidades de saúde do município comunicando a determinação do Cremerj. Com isso, as pacientes “estão procurando os outros locais de forma espontânea”.

Em entrevista ao programa de rádio do Dirlei Pereira, no sábado, o presidente do Cremerj disse que Adriano pode responder como gestor e profissional por ter rasgado o auto de interdição que havia sido afixado na porta do hospital na última quinta-feira.