Assine Já
segunda, 06 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
21ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53752 Óbitos: 2196
Confirmados Óbitos
Araruama 12500 448
Armação dos Búzios 6589 73
Arraial do Cabo 1755 93
Cabo Frio 15618 902
Iguaba Grande 5581 147
São Pedro da Aldeia 7054 290
Saquarema 4655 243
Últimas notícias sobre a COVID-19
Novo decreto

Hospedagens de Cabo Frio poderão receber funcionários de empresas offshore

Decreto foi assinado na terça-feira (31) pelo prefeito Adriano, após reunião com a Acia

01 abril 2020 - 10h43Por Redação

O prefeito de Cabo Frio, Adriano Moreno, baixou decreto que autoriza o funcionamento parcial de meios de hospedagem para recepção de acomodação de funcionários que trabalham offshore. De acordo com o documento, assinado na terça-feira (31), os meios de hospedagem que já possuam contrato com empresa offshore ficam autorizados a hospedar, somente, os colaboradores da empresa contratante, desde que observem orientações de cuidado.

A medida vem após solicitação da Associação, Comercial, Industrial e Turística (Acia) de Cabo Frio ao Executivo. "A Acia foi procurada pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo (ABESPetro), com apoio de mais de 51 empresas de offshore. Intercedemos por essa liberação a pedido da diretoria da ABESPedro e presidência da Petrobras. Com isso, ajudamos a amenizar a crise pela qual passa os hotéis e o grave problema de logística enfrentado por essas companhias, que precisam de hospedagem para seus colaboradores", sublinhou Patricia Cardinot, diretora da Acia, que se reuniu com Adriano para tratar do assunto.
 
De acordo com o documento, os colaboradores a serem hospedados não poderão pertencer a nenhum grupo de pessoas consideradas suspeitas ou de prováveis portadores de coronavírus, estarão sujeitos a todas orientações expedidas pelas autoridades de Saúde e deverão ser hospedados em acomodações arejadas que permitam a abertura de janelas e que possuam ventilação adequada. As refeições deverão ser oferecidas preferencialmente nos quartos.
 
Estabelece ainda o decreto que caberá ao estabelecimento de hospedagem obedecer as orientações sanitárias de conduta de precaução a contaminação do coronavírus expedidas pelo Ministério da Saúde. Além disso, as empresas deverão fornecer à Secretaria de Mobilidade Urbana, com antecedência mínima de 48 horas, a identificação do veículo e do motorista, inclusive aquele que poderá substituí-lo em caso de necessidade, sob pena de não ser permitido o ingresso no território de Cabo Frio. Um cronograma de chegada e partida deverá ser informado à Prefeitura.
 
Por fim, não será admitida a hospedagem de colaborador que apresentar qualquer sintoma de gripe ou de provável contaminação por coronavírus, devendo retornar no mesmo veículo que promoveu o seu transporte até o estabelecimento receptor. Deverá a empresa de offshore contratante da hospedagem responsabilizar-se, por escrito, pela remoção ou pelos atos de internação do seu colaborador mediante qualquer ato indicativo de contaminação pelo coronavírus, devendo fornecer, no mesmo ato, um canal de comunicação válido e que funcione 24 (vinte e quatro) horas por dia para eventual contato.
 
Hospedagem de prestadora de
serviço para a Petrobras foi barrada
 
A Folha noticiou, no dia 24, que uma prestadora de serviços da Petrobras tentou, na época, deixar funcionários em quarentena em Cabo Frio. A ação, no entanto, foi barrada pela Prefeitura de Cabo Frio. A ação da empresa seria para evitar que uma possível contaminação por covid-19 se alastrasse para o restante da equipe embarcada em plataforma. Em entrevista ao programa de Sidnei Marinho, na TV Litoral News, o prefeito Adriano Moreno confirmou a informação.
 
"Isso não teria cabimento. [Disse a eles que] assim vou contaminar minha população", afirmou, na ocasião.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.