Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7483 Óbitos: 397
Confirmados Óbitos
Araruama 1452 99
Armação dos Búzios 466 10
Arraial do Cabo 201 13
Cabo Frio 2467 130
Iguaba Grande 622 34
São Pedro da Aldeia 1153 50
Saquarema 1122 61
Últimas notícias sobre a COVID-19
H1N1 falta em Cabo Frio e Arraial

H1N1 falta em Cabo Frio e Arraial

Estado envia poucas doses da vacina e não há previsão de nova remessa

03 maio 2016 - 09h21

A campanha de vacinação contra a Influenza em Cabo Frio e Arraial do Cabo continua com falta de vacinas. Ambas as cidades receberam doses  abaixo do necessário para proteção do público-alvo e não há previsão da Secretaria de Estado de Saúde para normalização das remessas. Este ano, a
meta cabofriense é proteger 45 mil pessoas do grupo prioritário; já na cidade cabista, a meta é 7 mil moradores. Desde o início da campanha, em
25 de abril, somente 17 mil pessoas foram imunizadas em Cabo Frio e cerca de 3.900 em Arraial. 

Segundo a Secretaria de Saúde de Cabo Frio, o Estado havia liberado somente 8.200 doses  para o dia D, no último  sábado, que acabaram ao  meio-dia. Ainda no sábado,  nova liberação estava aguardada para que  a vacinação continuasse  ontem, mas apenas 5 mil  doses chegaram.  Por conta da liberação  abaixo do esperado, ontem  os ostos de saúde de  Cabo Frio tiveram o funcionamento  remanejado.  Em Arraial, o terceiro  lote recebido no sábado à  noite, com 700 doses da vacina já terminou. A expectativa é que ainda esta semana a secretaria de estado envie mais um lote. A coordenação municipal de imunização fez a  istribuição das vacinas ontem de manhã.

Cada unidade recebeu uma quantidade específica: Unidade Básica de Saúde (UBS) Morro da Cabocla: 40 doses, UBS do Sabiá: 30 doses, UBS Hermes Barcelos (Sítio): 80 doses, UBS Monte Alto: 80 doses, UBS Prainha: 80 doses, UBS Boa Vista: 40 doses, UBS Figueira 80 doses e Hospital Geral 270 doses. Até agora o município cabista recebeu ao todo 4.600 doses da vacina.

Grupos prioritários – Anualmente, a Campanha de vacinação pretende proteger pessoas classificadas pelo Ministério da Saúde como pertencentes ao  rupo de risco (mais propensos a ter a doença):  crianças, com idade a partir de seis meses até quatro anos, onze meses e vinte nove dias; gestantes e portadores de doença  renal crônica, idosos a partir de 60 anos; gestantes de qualquer idade; mulheres com até 45 dias após ter tido bebê   trabalhadores da saúde. Já em São Pedro da Aldeia, a meta do município  é imunizar 19.956 pessoas durante a campanha.  Segundo diretrizes do Ministério, inicialmente a campanha seguiria até o dia 20 deste mês, mas com a falta de doses, a expectativa dos municípios é se haverá ou não  rorrogação do prazo. A Campanha Nacional, realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com secretarias estaduais e municipais de todo o país,  pretende reduzir a mortalidade, além de internações decorrentes das infecções pelo vírus da gripe.

Falta é generalizada – Além das cidades da Região dos Lagos, a falta de vacinas comprometeu a campanha em pelo menos sete estados do país.  Em São Paulo, ao menos 30 cidades do interior cancelaram o dia D. Em resposta, o Ministério da Saúde afirmou que apenas 70% das doses foram  nviadas aos estados porque o laboratório não produziu o quantitativo necessário. As doses enviadas, ainda de acordo com o órgão, eram para atender  aos grupos prioritários. A vacinação imuniza contra os três subtipos de vírus da gripe que mais circulam no inverno: H1N1, AH3N2 e Influenza
B.