Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7483 Óbitos: 397
Confirmados Óbitos
Araruama 1452 99
Armação dos Búzios 466 10
Arraial do Cabo 201 13
Cabo Frio 2467 130
Iguaba Grande 622 34
São Pedro da Aldeia 1153 50
Saquarema 1122 61
Últimas notícias sobre a COVID-19
Guarda Municipal

Guarda permanece aquartelada

Agentes se reúnem com prefeito, que promete pagamento até 8 de novembro

26 outubro 2016 - 20h16

Nos últimos meses, tudo o que a Prefeitura de Cabo Frio tem feito é  tentar administrar crises, sobretudo as causadas pelos atrasos salariais do funcionalismo. O impasse da vez é com os guardas municipais que estão aquartelados na sede da corporação em São Cristóvão, há mais de uma semana.

Um grupo chegou a se reunir com o prefeito Alair Corrêa (PP) na Prefeitura, mas não houve acordo. Segundo o prefeito, no momento, o município não tem recursos para quitar o mês de setembro, além de direitos trabalhistas como o vale-transporte.

De acordo com um dos membros da comissão que representa os agentes municipais, Rogério Carvalhaes, o prefeito prometeu pagar os vencimentos atrasados até o dia 8 de novembro, mais de um mês após a data estipulada na legislação, que é o quinto dia útil de cada mês.

– Ele prometeu pagar  até o dia 8, mas disse que ia tentar pagar na semana que vem. Por causa disso, até lá não vamos fazer nenhuma manifestação, mas também vamos permanecer aquartelados – disse Carvalhaes, para quem a categoria deu um ‘voto de confiança’ ao prefeito.

Enquanto isso, apenas 30% do efetivo está trabalhando prioritariamente nos postos da Prefeitura, na secretaria de Fazenda e no depósito  público. Na ordenação do trânsito, os agentes atuam somente nos acidentes sem vítimas e mesmo assim com, no máximo, duas viaturas para toda a cidade.

Os efeitos da ‘operação padrão’ já podem ser sentidos pelo cidadão. A memorialista Meri Damaceno teve pedido de atendimento negado por agentes na semana passada durante o episódio em que um grupo de andarilhos fez um churrasco na Praça Porto Rocha.

– Eles simplesmente me disseram que não poderia me atender por que estavam sem receber o salário deles, mas que iria tentar fazer contatos com alguma guarnição que estivesse na rua. Porém essa guarnição não apareceu para me atender. Eu me senti isolada porém entendendo perfeitamente o que os guardas estavam sentindo e passando naquele momento – disse.

Para outras categorias, como a Educação, a via-crúcis é ainda maior. Muitos servidores dizem que sequer receberam os salários de agosto. Mas o sindicato dos profissionais de ensino teve uma vitória na Justiça. Nos próximos dias, o Sepe terá acesso às contas do governo, como o Fundeb.

– Solicitamos a prestação de contas de forma que tenhamos esse montante, porém o governo vem segurando. A juíza notificou o banco. Esperamos que tenhamos acesso a essa caixa preta para um controle maior – disse a diretora de imprensa Denise Teixeira.