Assine Já
domingo, 19 de janeiro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
20ºmin
Apartamento
ARRAIAL DO CABO

Grupo de trabalho em Arraial apresenta o pré-projeto da bilhetagem eletrônica

Ticket propõe ordenamento que trará comodidade ao turista

10 dezembro 2019 - 17h53Por Redação
Grupo de trabalho em Arraial apresenta o pré-projeto da bilhetagem eletrônica

A bilhetagem eletrônica está em discussão em Arraial, com o objetivo de profissionalizar o turismo e o ordenar os passeios náuticos. Na tarde de anteontem, representantes da Prefeitura se reuniram com empresários, associações e vereadores para apresentação do pré-projeto e esclarecer dúvidas. 

O Secretário de Turismo e Eventos, Olavo Carvalho, fez breve apresentação do projeto, destacando a necessidade de pôr em discussão a reforma de toda a marina dos pescadores, uma infraestrutura para receber os turistas. Também citou o aumento significativo da procura pelo município e a importância de se avançar para um turismo de qualidade, de maneira profissional, com fiscalização, ordenação, arrecadação de impostos e retorno para o município e os moradores, e não somente os que exploram atividades turísticas. 

Durante a conversa, foi esclarecido que o bilhete eletrônico propõe um ordenamento que trará comodidade ao turista, que poderá comprar com antecedência e de forma online o bilhete para passeio náutico, e possibilidade de planejamento do empresário que poderá trabalhar com previsão e receber o dinheiro antes do cliente chegar na cidade. Além disso, após todos os procedimentos e da aprovação da lei, uma empresa será licitada para gerenciar a bilhetagem eletrônica e precisará cumprir uma série de exigências contratuais tais como monitoramento por câmeras, segurança, limpeza, a implementação e manutenção do sistema de vendas, a geração de empregos priorizando o povo cabista e a capacitação da mão de obra.

A Prefeitura, mais uma vez, reforça que não vai e não tem a intenção de controlar os preços do passeio, pois a concorrência precisa existir de maneira saudável e cada empresário sabe o custo de sua operação. Durante a apresentação do pré-projeto foram pontuados a composição de preço, o processo de funcionamento, a validação e segurança, as benfeitorias, os benefícios, o compromisso público e as referências. A apresentação esclareceu dúvidas e desmistificou boatos acerca do projeto, que foi bem recebido pelos presentes e contou com duas colaborações sendo elas o acréscimo de uma equipe de resgate e atendimento de eventuais emergências e a inclusão da possibilidade de trabalho em parceria com agências de turismo comissionadas diretamente pelo sistema. 
Os representantes da classe interessada presentes também reforçaram as inúmeras reclamações sobre o turismo desordenado e agressivo, a falta de atuação da gestão pública municipal, a ausência de transparência no repasse das verbas da taxa de acesso à marina dos pescadores e na arrecadação de impostos, e a necessidade de se nivelar o turismo na cidade por cima. Mais uma vez a questão dos vendedores de rua, chamados de “atravessadores”, foi levantada como um problema que assusta e afasta os turistas. Todos alegaram que querem participar do projeto, pontuando as necessidades dos que atuam diariamente nos passeios, para que ele funcione e traga benefícios reais ao município. 
A Prefeitura concordou que o tempo curto para discussão criou um embate com os representantes e que, por isso, a audiência pública que estava marcada para o dia 16 será adiada. A intenção é promover mais alguns encontros para dúvidas e sugestões.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.