Assine Já
segunda, 28 de setembro de 2020
Região dos Lagos
35ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8099 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 487 10
Arraial do Cabo 248 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
TRT

Greves dos servidores do INSS e TRT completam 90 dias nesta quinta-feira (10)

Sessão marcada para o dia 22 pode definir fim da greve do TRT

10 setembro 2015 - 13h14

Já são 90 dias de portas fechadas e serviços parcialmente suspensos do TRT e do INSS. As categorias seguem a greve nacional por melhorias salariais que pedem reposição de perdas inflacionárias para os servidores do TRT e 27,5% de reajuste salarial para funcionários do INSS.  

A próxima sessão marcada para definir a aprovação do Projeto que repõe as perdas inflacionárias do Poder Judiciário, acumuladas em 50% desde 2006, acontece no próximo dia 22. A última sessão aconteceria no último dia 2, mas teve que ser interrompida diante da possibilidade de queda do Projeto. No total, mais de 100.00 servidores da Justiça Trabalhista, Eleitoral e Federal, de todos os estados, apoiam a greve, que já é considerada a maior da história do Poder Judiciário.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, propôs um reajuste que reduz a remuneração dos servidores da Justiça do Trabalho.

De braços cruzados desde o dia 7 de julho, os funcionários do INSS pedem, além da reajuste salarial, jornada de 30 horas e incorporação das gratificações para a aposentadoria. A contraproposta do governo foi de um reajuste de 10,8% e foi rejeitada.

Segundo determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) as agências do INSS devem funcionar com, pelo menos, 60% dos funcionários. No entanto, muitas agências estão com as portas fechadas. Além disso, os médicos peritos também aderiram à paralisação.

Para evitar prejuízos nos benefícios, o Instituto Nacional do Seguro Social considerará a data originalmente agendada como a de entrada no requerimento.

De acordo com a aposentada Lecy Macedo, 65, a paralisação é prejudicial à população.

– Concordo que todos devam lutar pelos seus direitos, mas, de fato, prejudica. A pessoa às vezes pode perder um dia para ir ao Centro e acaba se deparando com uma greve. Isso prejudica o atendimento, que já não tem muitos funcionários – concluiu.

Outros municípios da Região dos Lagos aderiram à greve. Além de Cabo Frio, Arraial do Cabo e Saquarema também estão em greve. De acordo com dados do Ministério da Previdência Social, das 1.605 agências do país, 196 estavam fechadas e 273 permaneciam com atendimento parcial.