Assine Já
quarta, 23 de setembro de 2020
Região dos Lagos
21ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Greve

Greve dos bancários dura 15 dias e categoria se mantém firme na negociação

Dor de cabeça e uma novela que está longe de acabar

21 outubro 2015 - 09h48Por Gabriel Tinoco

Ao que tudo indica, a greve dos bancários, que já dura 15 dias, está longe de um fim. Re­presentantes da Federação Na­cional dos Bancos (Fenaban) se reuniram com a categoria para pôr fim à paralisação, mas as negociações não avançaram. Os bancários reivindicam rea­juste salarial de 16%, que seria uma reposição da inflação mais 5,7% de aumento real.

    

    Foto Eduander Silva

De acordo com informações do presidente do sindicato de Niterói e Região dos Lagos, Suez Santiago, a reposição da inflação é o critério mínimo para negociação.

– Esperamos uma proposta decente para encerrar a greve. O que não podemos é aceitar uma proposta abaixo da reposição da inflação de 9,88%. Tem que ser desse patamar para frente. Caso contrário, não há nem conversa. Ainda acrescentamos uma quan­tia a mais na pauta, que seria o ganho real – diz ele, irredutível.

O movimento recebeu adesão total na Região dos Lagos. Com exceção do atendimento a pen­sionistas e aposentados, todo o atendimento ao público foi sus­penso. Suez ainda lembra que essa já é a greve que mais fechou agências no país inteiro.

– Estamos aguardando. Mais agências são fechadas a cada dia que passa. A greve desse ano já é considerada a maior greve da história, a que teve mais agên­cias fechadas até agora – comen­ta ele, lembrando que a proposta dos bancos na tarde de ontem foi inaceitável.

– Aumentaram muito pouco. Deixamos bem claro que as ne­gociações começam acima da inflação – disse.

Segundo dados do Sindica­to dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e a Confedera­ção Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), 12.496 agências e 40 cen­tros administrativos paralisaram suas atividades em todo o Brasil.

 

QUEM ASSINA a Folha sabe mais. Clique aqui e assine agora mesmo por apenas R$ 19,90 ao mês.