Assine Já
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
22ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26413 Óbitos: 912
Confirmados Óbitos
Araruama 6711 182
Armação dos Búzios 3191 32
Arraial do Cabo 855 37
Cabo Frio 7283 352
Iguaba Grande 2510 55
São Pedro da Aldeia 3488 126
Saquarema 2375 128
Últimas notícias sobre a COVID-19
ARRECADAÇÃO EM QUEDA

Governador discute impacto da crise da Covid-19 nas finanças do estado

Em reunião com representantes dos poderes, Wilson Witzel aborda alternativas

07 maio 2020 - 16h28Por Redação

O governador Wilson Witzel (PSC) esteve reunido, por videoconferência, nesta quinta-feira (7) com representantes dos poderes Legislativo e Judiciário do Rio de Janeiro para discutir o impacto das medidas restritivas do combate ao novo coronavírus nas finanças do Estado. 

De acordo com os dados mais recentes, a estimativa é de perda de arrecadação de R$ 15 bilhões para este ano, em relação à Lei Orçamentária de 2020. Deste total, pelo menos R$ 4 bilhões são provenientes de receitas de royalties e participações especiais e R$ 11,7 bilhões de arrecadação em ICMS, decorrente da desaceleração da atividade econômica no estado. 

Com isso, a previsão do déficit nas contas, para 2020, que era em torno de R$ 10 bilhões no início do ano, deve passar para R$ 25 bilhões. Desde o início da crise sanitária, as secretarias da Casa Civil e de Fazenda elaboraram um pacote de 29 medidas para conter o agravamento da crise fiscal, com contingenciamento no orçamento e vedação/limitação de despesas não essenciais, entre outras medidas. No entanto, persistem os riscos de dificuldades de caixa para pagamentos de fornecedores e servidores já nos meses de agosto ou setembro, dependendo de como evoluir a arrecadação.

– Estamos acompanhando de perto a situação financeira do Estado e analisando todas as possibilidades. Até porque os recursos advindos do pacote aprovado pelo Senado Federal estão muito abaixo do necessário – afirmou o governador.

O Governo do Estado vai procurar a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para tentar evitar perdas de receita nos cálculos feitos sobre a exploração de petróleo e gás no estado e também insistirá na cobrança de dívidas da Petrobras. O governo luta ainda para conseguir, junto ao Superior Tribunal de Justiça, a liberação de mais de R$ 600 milhões referentes a royalties e participações especiais dos campos Lula-Cernambi. 

Todas as medidas que o governo vem adotando têm como objetivo assegurar o combate à pandemia da Covid-19 e manter o funcionamento da máquina pública estadual.

Participaram da reunião virtual o vice-governador Cláudio Castro; o procurador-geral do Estado, Marcelo Lopes; os secretários André Moura (Casa Civil e Goverança), Cleiton Rodrigues (Governo e Relações Institucionais) e Luiz Claudio de Carvalho (Fazenda); o presidente da Alerj, André Ceciliano; o presidente do TJ-RJ, Cláudio Tavares; o defensor público-geral, Rodrigo Pacheco; e o procurador Marfan Vieira representando o procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.